E LÁ VAMOS NÓS

Passadas as justíssimas comemorações, é hora de retomar a luta, com ânimo e coragem redobrados, porque a última batalha será duríssima e, provavelmente, serão usados instrumentos tão sujos quanto certas mãos.

Os petistas e os que se dizem “de esquerda” irão, mais que nunca, se unir para conseguir a vitória que já pensavam sua. Nossa vigilância será essencial, tendo em vista os “maus hábitos” dos petistas, contumazes no “erro”.

A famosa polarização direita-esquerda será explorada ad nauseum. E ponha náusea nisso.

Antes mesmo do dia da virada, um confuso Emir Sader já começava, em artigo publicado na imprensa, a conclamar a esquerda à união para “não abrir mais flancos aos inimigos”. O companheiro chama para a guerra contra todos aqueles que pensam e conhecem bem os “ideais” esquerdistas e por isso, dele têm horror.

O Sr. Sader, diretor do Laboratório de Políticas Públicas da UFRJ (pobres alunos), comprovando o relativismo moral que caracteriza a esquerda, chama todos à luta, “QUALQUER QUE SEJA O JUÍZO QUE SE TENHA DO GOVERNO LULA”.

Os camaradas irão se unir em torno da manutenção do projeto petista, mesmo que este esteja, de lama, até aqui. Afinal, segundo Sader, “a esquerda tem que demonstrar, diante dessa feroz ofensiva da direita, que sabe colocar em prática uma política de frente única, que não confunde inimigos estratégicos com aliados táticos, que sabe distinguir as linhas de divisão das contradições irreconciliáveis entre direita e esquerda”.

As esquerdas irão, convenientemente, esquecer que o PT e seu líder se aliaram a Sarney, Maluf, Quércia, Collor, Barbalho, inclusive com beija-mão (o que não se faz pelo poder, meu Deus!), etc., etc.? Não gosto de ficar repetindo esses nomes porque meu estômago é fraco.

Será o PT de esquerda? Suas alianças e sua prática governamental indicam que não. Mas, como coerência nunca foi o forte da esquerda, a tônica da campanha que já se inicia para o segundo turno deverá ter essa polarização como foco. Além do mais, o partido e seu líder nunca encontraram a intesecção entre o discurso e a prática. Conduta típica que aprendemos a ver exercitada em todo o governo (?) Lula.

Por outro lado, o movimento inicial dos governadores eleitos pelo PT é unificado no sentido de livrar a imagem de Lula da Silva e culpar o núcleo paulista do partido pelas “trapalhadas” (Marcelo Deda, do Piauí) que impediram a vitória no primeiro turno. Jacques Wagner, da Bahia, vai pelo mesmo caminho, atacando Berzoini pelas “práticas incorretas” do partido.

Essa estratégia batida não engana mais ninguém. O PT terá que procurar outros instrumentos para blindar o seu candidato. Difícil, muito difícil.

Enquanto isso, do lado azul, Alckmin espera conquistar Cristovam Buarque e Heloísa Helena. Também muito difícil. O primeiro já afirmara que, num provável segundo turno apoiaria Lula e a segunda negaria todo o seu discurso se se voltasse para o PSDB. Porém, como em política, as ideologias contam menos (ou nada, dependendo do candidato), tudo pode acontecer.

Agora, povo azul, é pedir voto o tempo todo. É conversar e esclarecer. Esse é o nosso papel. Vamos lá.

13 comentários:

DO disse...

Quanta sabedoria nas suas palavras,SARAMAR. A verdade é que estou enojado de tudo isto. Foi uma batalha dura e cansativa. Mas ainda não terminou.Temos que nos preparar para o final. Estando cansados ou não.
Dai-me forças,senhor!
Beijos!

Jorge Sobesta disse...

Saramar,

Para mim não existe mais essas coisas de esquerda e direita.
Agora é o de cima e o de baixo. Sendo que o de cima frequentemente defeca no de baixo.
Mas na minha opnião, Lula já era.
Se bem que Collor foi eleito...

Um grande abraço.

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Saramar:

Então mas o Cristovam Buarque e Heloísa Helena também não são "perigosos esquerdistas"?

Atenção de que o Alckmin precisa dos votos do centro-esquerda para ganhar a eleição e... "não é com vinagre que se apanham moscas".
Nesta fase do "campeonato" é preciso moderação e sensatez.

Além disso eu também sou de centro-esquerda, por outras palavras, sou social-democrata.

Um beijo,

Alexandre, The Great disse...

Saramar.

Nem consigo imaginar como ainda tem gente a proferir as expressões "esquerda X direita" na Academia!
Somente demonstra a total ignorância política daqueles que ainda se prestam a este engodo( além de dar razão ao discurso de Cristovam Buarque).

Desde quando PSDB é de "direita"?
Desde quando PT é de "esquerda"?

O dia que conseguirem me explicar as duas questões acima, me calo.

Stella disse...

infelizmente veremos Lula & Co acentuarem essa divisão, pode ser aí a grande derrota
Resta a oposição saber unir a nação em torno de um programa de governo

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Saramar:

O Alckmin vai ganhar estas eleições na 2.ª volta. É o meu palpite.
O debate televisivo, se ele for verdadeiramenre competente, ditará a derrota do Lula.

Um abraço,

Riccardo Joss disse...

Pela enésima vez digo: não há e nunca houve direita no Brazil.

Santa disse...

Sara,
Para quem passou 4 anos blindado, se queima com uns "merdinhas" de amiguinhos aloprados(rsss).
Bjs

tunico disse...

Saramar, me faça um favor. Não dê bola ao Emir Sader. É um babaca, que deve ter no máximo 2 leitores. Menos que eu, que tenho 3 (e voce é uma delas). O Brasil não tem mais direita desde a derrocada dos milicos. Aliás, tem sim alguns recalcitrantes. Sarney, ACM, Barbalho(por trás dele tem Jarbas Passarinho), Maluf. Mas é uma direita oportunista. Visa a locupletação e o poder pelo poder. Não tem esquerda também.Os que se dizem esquerdistas são na realidade oportunistas.Querem o poder pelo poder. Hoje o Brasil deve se dividir entre a favor e contra o país. Eu sou a favor.Você é. Muitos que conhecemos são. O brasileiro não tem ideologia. Tem vontade de ser feliz.E nós devemos ajudar o brasileiro a ser feliz.Estaremos nos ajudando também.Talvez a vitória de Geraldo Alckmin nos ajude. Eu vou cobrar, voce vai, todos nós vamos cobrar.

E tem mais. Nenhum deles pagam as nossas contas.

Star disse...

Saramar,


Você esta certa, vamos continuar a luta porque a vitória nos devolverá nosso Brasil dos brasileiros e levará embora o Brasil dos amigos de Lula, dos filhos do Lula, dos camaradas do Lula.

Nosso país é maior que lula e corriola...

Não podemos esquecer também que cobrar é preciso.

Há quem aposte que, se nessas quatro próximas semanas, for revelado o nome do dono da conta bancária no Exterior que teria propiciado o desembarque da dinheirama do Dossiê Freud no país, a candidatura de Lula, literalmente, implode.

Giba Um - http://www.gibaum.com.br/

Eliane disse...

A monarquia sindical
Eu recebi o texto abaixo por e-mail, e não posso deixar de publicá-lo aqui.

DESPESAS DO GABINETE PRESIDENCIAL
1995 - FHC ---------------------R$ 38,4 milhões
2002 - FHC ---------------------R$ 76,0 milhões (aprox.)
2003 - Lula ---------------------R$ 318,6 milhões
2004 - Lula ---------------------R$ 372,8 milhões (R$ 1,5 milhão/dia útil)

NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS NO PALÁCIO DO PLANALTO
Itamar Franco---------------------------------------1,8 mil
FHC---------------------------------------------------1,1 mil
Lula---------------------------------------------------3,3 mil

NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS DO PALÁCIO DA ALVORADA - 75 empregados
Obs : No ano passado Lula assinou o decreto no 5.087 aumentando de 27 para 55 o número de assessores especiais diretos.
Fonte : ISTO É/DINHEIRO. Dados coletados por um grupo de consultores que têm senha especial de acesso ao SIAF - Sistema Integrado de Administração Financeira.

COMPARAÇÃO COM AS PRINCIPAIS MONARQUIAS E COM OS ESTADOS UNIDOS

Custos operacionais anuais (custo de manutenção da Chefia de Estado)

Inglaterra (monarquia)---------US$ 1,87/capita = US$ 104,0 milhões
Dinamarca (monarquia)--------US$ 1,86/capita = US$ 9,5 milhões
Bélgica (monarquia)------------US$ 1,10/capita = US$10,8 milhões
Noruega (monarquia)-----------US$ 0,83/capita = US$ 3,6 milhões
Japão (monarquia)--------------US$ 0,42/capita = US$ 52,0 milhões
Espanha (monarquia)-----------US$ 0,20/capita = US$ 8,1 milhões
EUA (república)------------------US$ 4,6/capita = US$ 1.100,0 milhões
Brasil (republica sindical)------US$ 12,0/capita = US$ 1.700,0 milhões

Fonte: IBGE

CONCLUSÃO

É muito mais barato manter uma Família Real do que um Presidente Operário .

Impressionante!
do site http://www.nemersonlavoura.blogspot.com/

Jacaré Doido disse...

Mãos a obra Saramar. O negócio e convencer qualquer eleitor de Lula mudar o voto. Se cada um de nós convencer um lulista, já está ótimo.

Ricardo Rayol disse...

Nda que um ministério da educação nao resolva....