"ECA É O ESTUPRO MORAL DA CRIANÇA BRASILEIRA"

Segunda feira nunca é fácil. Olhar a sexta feira dessa distância é duro. Por isso, um tema com cara de segunda.

Hoje, ia escrever sobre a CPI do Apagão que, parece-me, vai apagar de vez a vergonha dos parlamentares. Porém, li uma matéria no Jornal Opção de ontem que me tirou o apetite e o sono.

Para os defensores dos direitos humanos de criminosos, um tapa na cara; para, nós, os cidadãos, um tiro no peito e a sensação que a "legalidade" neste país surreal (ou hiperreal), é a cloaca da justiça.

Reproduzo o início da matéria, sugerindo que leiam o restante no site do jornal. Porém, aviso: você deve se munir de coragem e guardar seu estômago e seu coração em algum lugar bem escondido. De antemão, peço desculpas por estragar seu dia, porém sou apenas o mensageiro.

"As crianças brasileiras — sobretudo as meninas — estão sendo vítimas de um verdadeiro genocídio moral e até físico. Graças ao Estatuto da Criança e do Adolescente, que protege sistematicamente o menor infrator em prejuízo da criança inocente. É o que demonstra um fato ocorrido recentemente no Estado — o estupro de uma menina de apenas 12 anos dentro do Presídio de Anápolis. Até o Ministério Público — defensor abnegado dos menores infratores, inclusive daqueles que cometem crimes hediondos — não deu a menor importância para o caso. Entretanto, em qualquer país civilizado, o estupro de uma criança praticado dentro de um presídio geraria comoção nacional. Sobretudo porque o estuprador da criança foi solto logo depois de ter praticado o crime, numa prova cabal de que o Brasil se tornou uma República de Bandidos em que as leis funcionam em benefício dos criminosos."

19 comentários:

Blogildo disse...

É no mínimo revoltante esse caso, Saramar. O pai vender a própria filha para um bandido sob a proteção do estado é o tipo da coisa que só se vê no país da ECA.

Defensor disse...

Saudações
...sem palavras...

ROÇA COISA É OUTRA LIMPA disse...

Ô imundície sem fim!Bandidagem tomou de sequestro mesmo, o país.

alexandre, the great disse...

Saramar.
Diante de uma brutalidade como esta a minha reação, caso poder tivesse, seria determinar que o Enola Gay despejasse o Little Boy sobre aquele local.


Alexandre, The Great

Fábio Max Marschner Mayer disse...

A redação do ECA, veio de uma comissão cheia de idiotas que queriam uma lei ideal, tratando os jovens brasileiros como se ainda estivéssemos nos anos 30.

O resultado é que não funciona, porque a sociedade brasileira é violenta e imoral por natureza.

A redação original do ECA serviria para a Suiça, mas não para o Brasil, onde pessoas se orgulham da sua ignorância e fogem da escola para se tornarem jogadores de futebol ou capas de revista de mulher pelada... basta olhar nossas ruas e ver que o ECA é equivocado, só os imbecis que o redigiram, e os m... demagogos que votaram no Congresso não percebem isso!

David disse...

Depois eu sou chato porque acredito que a pena de morte resolveria um montão de cass assim.
Violência gera violência? Claro! Eu só estou querendo me defender desse tipo de animal de duas pernas e nenhum cérebro.

Carlos Emerson Jr. disse...

Saramar, revoltante. Mas revoltante mesmo. E nem vou falar mais nada, você sabe o que eu acho deste "ECA"!!!

sonhadora disse...

Revoltante! Saio indignada.
Um beijinho embrulhado em abraços

Jussara Gehrke disse...

como tenho dito ultimamente, a gente nunca pode dizer que já viu de tudo...tanta coisa horrivel...

Abreu disse...

Saramar,
Há casos tais como este e o do garoto João Hélio sobre os quais não consigo sequer ler.
Este país está podre, sem bons exemplos publicos nem nada que o valha.
Por um instante, lembrei-me [forçando para não chutar o pé da mesa - que, além de tudo 'não tem culpa de nada!'] - para não me irritar tanto [como posso?], dos fatos havidos aqui em S.Paulo, durante o evento da "Viarada Cultural", quando bandidos à solta simplesmente vandalizaram o patrimônio público por 'pura diversão', cônscios de que nada nem ninguém os pegaria.
Esperar o que desse povinho sem vergonha que se constitui a Nação da qual somos minoria?
Bjs.,

Mário disse...

Saramar, é de perder o sono mesmo. Só gostaria de perguntar quem é esse Promotor de Justiça ao qual se referiu, vez que aqueles que conheço limitam-se a observar a lei e isso muito a contragosto naquilo que se refere aos menores infratores. Ocorre que nada podem fazer quando a lei dita o contrário. Se fizerem, na inacreditável hipótese do juiz da Infância e Juventude concordar com ele, o Tribunal desfaz porque a lei foi assim escrita e deste modo deverá ser cumprida.
Precisamos é mudar a lei que não presta para a realidade de hoje.
Para mudar a lei é necessário desempregar certos políticos "empregados" em seus luxuosos gabinetes em Brasília. Político como um Pedro Simon que disse que não votaria no Senado a questão da redução da maioridade por ser um covarde. Se é covarde, fique em casa e vá cuidar dos netos! O Congresso Nacional precisa de corajosos, sensatos, em sintonia com a sociedade, e capazes de mudar aquilo que está errado.
Saramar, verdade é que esta culpa é nossa. Até onde sei nenhum deles foi eleito sem voto.
E quem vota, minha amiga, somos nós.

Passarim disse...

Sara,

Se vai adiantar alguma coisa eu não sei, mas mandei uma cópia da materia para o MJ. Abs. Obrigado pela visita. Jarbas

Moita disse...

É pra vomitar.
Nossas leis e nossa justiça são as coisas mais repugnantes que temos.

Cheiro

Lord Broken Pottery disse...

Saramar,
O pior de tudo é que a violência, seja para que lado olhemos, o dos contra e a favor da diminuição da maioridade penal, só faz aumentar. A solução, que seria educar o povo, e tornar a sociedade mais justa, não virá tão cedo.
Beijo

Giulia disse...

Saramar, tenho a maior estima por você, mas desta vez discordo. Com ECA ou sem ECA, a violência seria a mesma. No mínimo, o ECA obriga a refletir sobre a violência, nem que seja para criticá-lo. Aliás, as pessoas falam do ECA sem tê-lo lido, o que é típico do hábito nacional de discutir os assuntos. Também discordo de alguns artigos do ECA, mas isso não invalida o espírito da lei.
Um país nunca deveria se envergonhar de suas leis que visam proteger as pessoas, principalmente aquelas que ainda não aprenderam a se defender minimamente. Deveria se envergonhar, sim, de todas as tramóias que visam e conseguem burlar essas leis. Deveria se envergonhar da covardia de supostos adultos usando crianças e adolescentes para satisfazer seus baixos instintos e interesses escusos. E, principalmente, da corrupção em todos os níveis, que permite esses abusos.

Ricardo Rayol disse...

pqp

Manoel Carlos disse...

É o país da impunidade, de menores a maiores, desde que façam parte de algum bando organizado.

DO disse...

Se o crime se instalou na cúpula do poder,a gente só pode mesmo esperar coisas deste tipo,Saramar.
Infelizmente!!
Beijos!!

A.S. disse...

Este teu texto devia ser transformado num grito de revolta!...