POEMAS AOS HOMENS DO NOSSO TEMPO


Hilda Hilst

Amada vida, minha morte demora.
Dizer que coisa ao homem,
Propor que viagem?
Reis, ministros
E todos vós, políticos,
Que palavra além de ouro e treva
Fica em vossos ouvidos?
Além de vossa RAPACIDADE
O que sabeis
Da alma dos homens?
Ouro, conquista, lucro, logro
E os nossos ossos
E o sangue das gentes
E a vida dos homens
Entre os vossos dentes.

(fragmento)

4 comentários:

Stella disse...

Belo poema Sara, realmente os homens do poder pensam somente em si e não no povo que os elegeram

DO disse...

Creio que só sabem do próprio umbigo,SARAMAR

E olhe lá,heheheh

Beijos!!

shirlei horta disse...

Pois é, Saramar, e eu te procurando... como Saramar. Não ia encontrar nunca!!!!! Me sentia "a excluída" da blogosfera. Vou linkar "Escrevinhações" e ver um a um com calma.
Obrigada, Senhor!!! Me tiraste o Bergman, mas me puseste a Saramar no caminho!!!!

Mamanunes disse...

Pois é..
"Por quem os suinos dobram?"
Um beijo