VERGONHA


mais ou menos decoro
mais ou menos crime
mais ou menos bandido
mais ou menos senado
mais ou menos prostíbulo
mais ou menos honra
por uma pena mais ou menos
por um país mais ou menos
se possìvel, menos. muito menos.
somos o país do mais ou menos
quase sempre menos

Tenho vergonha de ver o senado presidido por um indivíduo que precisa se esconder dos cidadãos e vive no submundo político chantageando e atemorizando seus pares, os cordeiros do rei.

Tenho vergonha de perceber que o senado brasileiro merece ser presidido por Renan Calheiros. Talvez por terem também essa consciência, os senadores, com a falta de escrúpulos característica dos políticos brasileiros, transformaram-se em comparsas do homem das vacas de ouro, cúmplices na sordidez e no desrespeito às leis e ao povo que os elegeu.

Tenho vergonha de assistir à mistificação (verdadeiro espetáculo para nos enganar, os palhaços) de um senado inteiro, que ainda ontem bradava uníssono contra este mesmo indivíduo, negociar vergonhosamente seu retorno e o arquivamento dos processos já existentes contra ele, além de já ter decidido aprovar uma possível decisão do conselho de ética (????), se favorável a Renan, e derrotá-la, se o parecer for pela cassação do seu mandato.

Tenho vergonha do senado brasileiro que precisa manter escondidas suas contas, o uso da tal “verba indenizatória”, seus servidores comissionados, suas faltas, etc. Ao fazê-lo, os senadores impedem o povo que lhe conferiu o mandato, de conhecer os corredores imundos onde se movem e dão lugar a entes de alma chantagista como aquele que o presidia.

Se os senhores senadores querem se manter reféns de dossiês, é problema deles. Porém, o cidadão que vota e paga por eles, todos os privilégios, já sofre demais, presa que é, de um governo (?) inepto. Precisamos do senado para nos defender e não para se auto-proteger por meio de conúbio com criminosos ou governantes vorazes.

Tenho vergonha do senado brasileiro que se presta a homenagear um assassino estrangeiro, fautor de um regime igualmente assassino que mantém seu povo na escravidão.

Qual é a cara do senado brasileiro hoje? Ninguém tem dúvida. O senado brasileiro, não tem a cara do cidadão que deveria proteger. Hoje, tem a cara do Renan, do Salgado, do Mercadante (que, aliás, depois de uma conversa com seu líder-mor, já volta atrás novamente em relação à cassação de Renan). Lixo, fétido lixo!

O senado encontra-se em processo acelerado de autodestruição. Não se sabe se morrerá de suicídio ou de morte matada. Ora, o indigitado parece se matar, ora parece receber, de fora, o golpe quase fatal. Está moribundo. Os instantes finais são emocionantes, como em trágica novela de quinta categoria. São emocionantes porque mexem com nossa dignidade, com nosso senso sobre o que é lícito e o que não é. São emocionantes porque NOS MATAM DE VERGONHA.

E a quem interessa a morte em vida do senado, senão ao governo lulo-petista que avançou sobre as instituições com ânsias de chacais? A Lula da Silva interessa este senado que exala seu odor fétido por baixo da vestimenta de papel de sua falsa honestidade. À esquerda autoritária interessa o senado curvado sob suas vergonhas, fraco, rendido e vendido aos arautos do atraso e da miséria.

3 comentários:

shirlei horta disse...

Exatamente. Interessa ao Lulla. O nome disso é fascismo.

pianomanga disse...

Muito me honra conhecer alguem, mes
mo que virtualmente,pois a distan-
cia aumenta a credibilidade das pessoas de bem. Parabéns querida amiga pela coragem inerente a pes
soas probas como vc.Este texto mos
tra exatamente o saco de lixo orga-
nico em que se transformou o sena
do brasileiro, assim como todas as outras instituições politicas do
País. Bjo pra vc. e boa noite.

alexandre, the great disse...

Saramar.

Vivemos na "República da Meia-boca"... já li isto em algum lugar(?).