OS POLÍTICOS SABEM DE TUDO E NADA FAZEM


"Artigo V
Fica decretado que os homens
estão livres do jugo da mentira."
Thiago de Mello


Em 2003 os companheiros e sua ideologia (?) chegaram ao poder, por meio da eleição. Nada demais em um país que, até então, era democrático.

O que se viu com o correr do tempo, foi a anormalidade, a aberração, uma vez que a elite pequeno-burguesa que chegou ao poder não governa. Apenas ocupa os palácios, com seus charutos cubanos, seus fermentados e destilados, o futebolzinho na Granja, os churrascos e o churrasqueiro (já na clandestinidade do poder), a caipirinha, etc.

Enquanto se entrega às libações prazerosas, intercaladas por passeios ao exterior, tenta inventar algum arremedo de governo para ir cobrindo os olhos quase cegos dos seus pouco mais de 50 milhões de eleitores. Quanto ao resto, bananas.

As lágrimas vieram pouco depois, pelo menos para os incautos, porque o político, a raça mais vil do gênero humano, já sabia, em parte, do que viria. Os pretos, os vermelhos, os verdes, os azuis, todos eles sabiam e todos se calaram. Como toda espécie inferior, o político não cuida da diversidade nem do ambiente em que vive, ocupado que está em cuidar de si e de sua realidade imediata.

Enquanto isso, os companheiros, elite do poder e dele embriagados, começaram a mostrar a que vieram. Enquanto o escolhido distraía a patuléia pelo mundo afora, com suas supostas sandices, a sombria e sorridente corte descortinava o absolutismo que se implantava no país, com suas características com as quais já estamos familiarizados, depois de tantos anos (Deus, desde 2003). Dos chefes: autoritarismo, falso moralismo, centralização, justicialismo, revanchismo; dos súditos: reverência, bajulação, submissão, covardia e venalidade.

O país poderia até suportar toda essa pantomima terrífica se ela não estivesse a serviço do mais banal e oneroso crime de lesa-pátria: a corrupção.

Todos os políticos sabiam. O povo, contudo, eterno ignorado, só começou a vislumbrar o que havia escolhido a partir do mensalão.

A mentira que, até então fora camuflada, emergiu com força de palavra oficial. Todos os integrantes da elite governamental começaram a mentir diante da cara de besta dos brasileiros, surpresos com o cinismo das excelências, boquiabertos com a queda rápida de tantos que, antes, eram arautos radicais da mais exacerbada moralidade.

Os políticos todo sabiam, mas o povo foi o último a ter conhecimento da pior desgraça política que poderia acontecer à Nação, qual seja – sob a farsa do pensamento progressista – um grupo retrógrado e revanchista utilizar as instituições para dar vida a uma ideologia ultrapassada, sangrenta e ineficaz no que se refere à promoção do desenvolvimento.

A partir daí, instalou-se o caos no país, principalmente porque não existem política, plano ou estratégias de governo, senão aquelas voltadas para a preservação status quo do grupo que finge governar.

Na há mais nenhuma coerência, não há apego à lei, ou à honestidade política, não há mais interesse pelo bem comum. O que há é a mais deslavada luta pelo poder, travada com as mais imundas armas, luta esta cuja vitória já vislumbram os charuteiros, tendo em vista a inércia, a covardia, o arrivismo e a venalidade que caracerizam as instituições brasileiras.

Tudo está desmoralizado no país: os poderes da república, a educação, o civismo, a ética e os deveres são assuntos que, se levantados, provocam gargalhadas. Como diz o ditado popular, o exemplo vem de cima. E o “de cima” ensina basicamente a mentira, da qual derivam todos os vícios, principalmente quando é oficial e quando todos sabem que estão sendo enganados e fingem ser cegos. Vivemos no reino da mentira em que todos mentem e todos sabem que todos mentem.

Todos os problemas camuflados por toneladas de teorias falsas e aparentemente perfeitas destiladas como dogmas por intelectuais cooptados pela utopia esquerdista que sabem bem, nunca funcionará a não ser sob a mais feroz ditadura; os pobres satisfeitos com a esmola que os mantém sempre na mesma condição de miséria; os banqueiros enriquecendo escandalosamente, mesmo à revelia da lei; as máfias protegidas; os grandes criminosos docemente adulados por falsos defensores dos direitos humanos, etc. Este é o cenário do Brasil.

Este é o ambiente perfeito para os golpistas. E todos os políticos sabem disso. E todos se calam.

Este é o palco já quase pronto para o espetáculo da morte da democracia. Seus carrascos estão a postos. Basta terminar de montar a guilhotina.


Com base neste texto de Augusto Francisco Mota Ferraz de Arruda, publicado há exatos dois anos no Consultor Jurídico.

12 comentários:

Arthur/Gaúcho disse...

A parte mais surpreendente da história é que este povo ignorado escolheu de novo e, desta vez, escolheu ciente a sua escolha. E vai escolher de novo, mesmo tendo a noção de que, daqui a pouco, perderá seu direito de escolha. O povo também sabe de tudo, Saramar.

Otug Etiel disse...

Pois é Saramar ... cada dia mais estou convencido que não temos outra saída .. ou concordamos com essa situação ou viramos a mesa ... pois vejo é um bando de brasileiros tentados por migalhas .. vide a ultima eleição ... todos esses projetos sociais tem como única finalidade manter o povão no cabresto .. foi institucionalizada a miséria nesse pais .. o lema é: quem prosperar se lasca .. acaba ficando sem bolsa família, sem bolsa escola e tantas outras bolsas por ai .. e a nos cabe bancar com impostos pesadíssimos essa fará eleitoreira.. um beijo saudoso mas entristecido diante de tanta canalhice.

Ricardo Rayol disse...

E tratemos de nos encostar na parede, saindo do meio dessa orgia fisiológica, antes que sejamos devidamente.. empalados

Belo texto gurua.

A Gata por um Fio disse...

Oi, Saramar...aqui na república do Pampa é ainda pior...A PF busca duzentos milhões de um escândalo na Estatal de energia CGTEE e de outro escândalo, no DETRAN, um dos principais suspeitos teve aposentadoria antecipada com mais de vinte mil mensais....são as manchetes dos jornais daqui...bjaum e obrigada pela visita, volte sempre...

Anônimo disse...

"Luta pelo poder travada com as
mais imundas armas",é o que vemos
no dia a dia da nossa política,num descaramento total.E o povão preo-
cupado com o próximo capítulo da
novela.Bela e atual análise.TIAGILA

Stella disse...

a guilhotina já está montada, ceifará de vez a democracia no país.

cilene disse...

Nao acredito que possa se dar um golpe no Brasil . O PT estaria acabado para sempre mesmo no poder, mas os politicos sao mesmo um corja de bandidos e podem tudo e sabem tudo

tita coelho disse...

Nossa o artigo é muito bom Sara! Alarmante!
beijos bom final de semana :)

tunico disse...

Os blogueiros venezuelanos se unem contra Chavez. Veja aqui.

http://tunico.wordpress.com/2007/11/23/blogagem-coletiva/

alexandre, the great disse...

Saramar.
A guilhotina já está montada (proposta do 3º mandato), falta colocar a cabeça da DEMOCRACIA no cepo (plebiscito).
Infelizmente somente um mal superior para se opor a este nos livrará da "maré vermelha".
Assim como não se combate traficantes armados com passeatas lúdicas, não se vence a máfia com discursos apenas.

Alexandre, The Great

DO disse...

A verdade ,SARAMAR,é que no campo a "guerra" já esta rolando. São invasões,roubos,destruições,depredações,mortes de animais e assassinatos.
O ministro da "justiça" ainda vem a público e defende este estado de coisas.
A grande massa nada faz. Acha que esta tudo otimo com o vale-esmola,acha que o Pinócchio é o novo Padim Ciço e se o Curintia não cair ta tudo otimo.
Temos dois caminhos : ou arregaçar as mangas ,ou preparar as malas.

beijos!!

Mário disse...

Brilhante, Saramar!

BRILHANTE!!!

Bom fim de semana.