PRESIDENTE DO BRASIL??

Por determinação constitucional, ao tomar posse, o presidente da república e seu vice se comprometem a “manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil" (art. 78 da CF de 1988).

Luiz Inácio da Silva prestou este juramento por duas vezes diante do povo brasileiro e do mundo.

Porém, diante das ações e omissões deste presidente – que o Brasil e o mundo assistem cotidianamente – convém indagar: será que o "governo mais corrupto da nossa história" cujas ações "são (...) mais do que suficientes para atender ao critério constitucional do impedimento" (vide Unger, Folha de São Paulo, 15 de novembro de 2005, para assinantes) se lembra do juramento que fez?

Se se lembra e se seu juramento não foi mentiroso e, portanto contrário à Constituição, Luiz Inácio da Silva deveria se informar melhor sobre as intenções e as ações do seu governo (?) relacionadas aos países “amigos”, como a entrega da refinaria da Petrobrás ao índio louco – que representou um atentado contra os interesses do país – ou a falsa neutralidade diante das abomináveis ações e intenções dos narco-terroristas das farcs e seu aliado bolivariano que vão de encontro à própria índole do povo brasileiro, avessa ao terrorismo.

Agora, é mais que conveniente lembrar do juramento do presidente da república, diante das intenções e ações do novo governo do Paraguai, não só em relação à pretendida quebra do contrato internacional de Itaipu, mas no que diz respeito aos 300 mil a 400 mil agricultores brasilguaios que vivem e trabalham naquele país, ameaçados de terem suas propriedades tomadas e destinadas à reforma agrária.

Entretanto, as notícias não são boas para os brasileiros. Luiz Inácio da Silva, ignorando o Celso Amorim, vai enviar Marco Aurélio Garcia para entregar, digo negociar a energia elétrica de Itaipu. Quanto aos brasilguaios, nem uma palavra. Mas, a julgar pelo anda acontecendo na raposa do sol...

Nunca na história deste país, o juramento presidencial de respeitar a Constituição foi tão desrespeitado.

6 comentários:

João Bosco disse...

Nunca na história desse país, ética passou a ser apenas um conceito subjetivo.
Eu havia afirmado em alguns comentários e, em post em meu blog, que a demissão de Marina Silva era diferente, "ela não saiu por motivos de escandalos", mas veja seu marido: "Fábio Vaz de Lima, marido de Marina Silva, responde a processo na Justiça e dirigiu a ONG Fase, suspeita de irregularidades", ou se preferir: "O maridão de Marina Silva fez carreira no Acre, onde foi assessor do ex-governador petista Jorge Viana, quando se envolveu numa polêmica verba secreta de R$ 2,5 milhões com outros “sortudos”".
Já que foi um comentário cheio de aspas, termino afirmando" "e se gritar...não fica um meu irmão..."

Ricardo Rayol disse...

Ué ele está sendo coerente... ele não sabe ler.

Frodo Balseiro disse...

Esse Sr., Marco Aurélio Garcia, vai se transformando no "Entregador geral da República"

DO disse...

Não me surpreendo mais com nada este infeliz,SARAMAR. Infelizmente as coisas estão soltas e ninguem toma providencia alguma.
Na minha modesta opinião isto é crime de responsabilidade ,e ele deveria responder por isto.
beijos!

Anônimo disse...

O que ficou determinado no Decreto n.º 5.484, de 30 de junho de 2005, aprovando uma nova Política de Defesa Nacional (PDN) para o Brasil.
No decreto, são definidos como objetivos da Defesa Nacional:
"I. a garantia da soberania, do patrimônio nacional e da integridade
territorial;
II. a defesa dos interesses nacionais e das pessoas, dos bens e
dos recursos brasileiros no exterior;
III. a contribuição para a preservação da coesão e unidade nacionais;
IV. a promoção da estabilidade regional; V. a contribuição para a manutenção da paz e da segurança internacionais; e
VI. a projeção do Brasil no concerto das nações e sua maior inserção em processos decisórios internacionais".
Agora minha amiga Saramar, vem o Comitê de Formulação de um Plano Estratégico Nacional de Defesa, na pessoa do seu coordenador, sr. ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Roberto Mangabeira com seu estilo "trator-tecnocrático", e o ministro da Defesa, Nelson Jobim, que preside o grupo de trabalho, eleborando um plano radical para transformação organizacional nas Forças Armadas brasileiras.
Se tudo correr conforme previsto, as mudanças radicais serão anunciadas por Lula, via Decreto, no dia 7 de setembro de 2008.
Diante de tais fatos, só nos resta rezar .. se fosse eu , abriria as comportas de Itaipu e daria toda água que eles tanto revindicam .. um beijo grande do amigo radical carioca .. guto leite.

posturaativa disse...

Se os cidadãos daqui estão abandonados à própria sorte, o que dirá dos coitados que vivem em outros países. A diplomacia brasileira não existe!