O GOVERNO (?) É CULPADO

Quem matou os três jovens no morro?
Quantos dispararam os tiros que os assassinaram?
Que cimento molda, antes, suas covas?
Quem constrói obras sobre ex-vidas?


Todos aqueles que afrontam as normas do grupo social em que vivem devem ser punidos. Este sempre foi e será o alicerce da existência e da sobrevivência de qualquer sociedade.

Neste país, esta norma basilar não vale porque o próprio governo (?) coloca as "obras" acima da vida dos cidadãos, ao usar pessoas treinadas para combater inimigos entre seus compatriotas e submeter jovens acostumados à disciplina dos quartéis aos criminosos impunes pela covardia deste mesmo governo (?) que não ousa enfrentá-los.

O inegável crime foi um desfecho anunciado, previsto, programado por todos os irresponsáveis que colocaram o Exército à mercê de poderosos bandidos, no morro (ou no asfalto que, como conta o cancioneiro popular, é onde estão os maiores criminosos).

Não há justificativa para quem "entrega" pessoas ao previsto e certo martírio. Isso vale para os soldados e vale para quem os comanda. Porém, no mundo fechado da obediência cega, esquecem os comandantes, principalmente o superior máximo, que soldados têm alma, cérebro e sangue como qualquer outro indivíduo.

Hoje, a maioria dos que servem às Forças Armadas, é formada por jovens pobres e desvalidos, porque aqueles que têm algum futuro não irão se submeter aos míseros soldos e à desmoralização incentivada pelo governo.

Este mesmo governo que os menospreza, valendo-se da rígida obediência à hierarquia militar, coloca soldados mal pagos, mal alimentados, mal vestidos em contato diário com uma população privada de tudo que deveria ser provido pelo governo, principalmente a segurança. Uma população, por isso mesmo, ressentida com toda forma de autoridade, da qual só conhece as práticas corruptas, vivenciadas no seu dia-a-dia carente e violento.

Contra o parecer do próprio Exército, os soldados foram colocados para trabalhar nos projetos do governo dentro da favela, sem receber nada a mais por isso, além do soldo miserável; são jovens de até 20 anos, sujeitos à disciplina rigída; são pobres; moram também nas favelas para onde voltam após trabalhar; são alvos conhecidíssimos dos chefões mais perigosos do mundo criminoso do país; são considerados como inimigos pela população porque assim a obriga o traficante.

Além disso, todos sabem (mas não falam) que o governo (?) dos companheiros, em sua faina eleitoreira, está utilizando o Exército como mão-de-obra escrava nas obras realizadas em favela especificamente escolhida para angariar votos para o aliado de plantão, aquele mesmo que desrespeitou o símbolo máximo dos católicos brasileiros, a Nossa Senhora Aparecida.

Se estas circunstâncias não foram a usina onde ferveu a irracionalidade patrocinada pela irresponsabilidade das autoridades, principalmente do ministro da defesa, não sei mais o que poderia desencadear monstruosidades como esta. Aliás, mais uma na longa, sangrenta e dolorosa lista de provas do descaso governamental com a segurança dos cidadãos.

11 comentários:

Frodo Balseiro disse...

Há é claro uma tentativa de culpar o Exército como instituição no episódio!
A quem interessa a saída deles da área conflagrada?
Certamente não são os moradores! Quem quer "liberdade de ir e vir" são os traficantes assassinos!

Adriana Costa disse...

Você foi no cerne da questão!
Assino embaixo!
bjs

Fábio Mayer disse...

O governo é culpado, sim, porque o Exército não é feito par fazer policiamento, e muito menos os seus agentes, os soldados, entendem exatamente o grau de perigo que é lidar com traficantes, coisa que a polícia, mal ou bem, sabe.

Soldado é treinado para proteger a tropa e matar, ele não conhece o conceito de proteger a sociedade, porque seu treinamento é para a guerra, onde o que está em risco é uma posição específica, e para ele, a sociedade vem em segundo plano.

Anônimo disse...

Fala ai Saramar .. o lamaçal aqui na cidade do Rio de Janeiro é bem do que vc possa imaginar .. a tal obra no morro da Providencia, é a meu ver, uma obra de fachada .. só entraram em reforma as casas mais visíveis da favela .. a parte que rende votos, é claro .. rsrsrsrs .. a mais carente nem ao menos foi consultada .. quanto a atitude de meia dúzia de soldados, alguns sargentos e um tenente, acho que não condiz com o espírito do nosso Exercito .. a vida humana não vale mais nada nessa cidade .. por pior que fossem as palavras ditas por aqueles rapazes, nada justificaria o fato de serem entregues pra morrer a traficantes de um morro rival .. só me causa estranheza o fato de um caminhão militar subir o morro sem ao menos levar um tiro .. quando sabemos que carros da policia são recebidos a Bala .. alguém daquela guarnição conheci os traficantes .. Só peço a Deus que não venha a presenciar tal fato com um filho meu .. um beijo grande do amigo carioca .. guto leite.
www.chutandoobardi.blogger.com.br

Alexandre, The Great disse...

Saramar, como vc sabe sou do RJ e temos a nossa visão do problema. O "comandante supremo" das Forças Armadas cometeu a pior das covardias contra a instituição Exército Brasileiro. Realmente o rancor e o revanchismo dessa raça devem ser enormes, mas isto aliado ao oportunismo do bispo-senador se transformou no ingrediente cruel contra o "NOSSO Exército Brasileiro".
Ambos são vis, torpes e covardes: o bsipo-senador que tramou a arapuca e o supremo apedeuta bebum que a autorizou e agora denigre a instituição. Por outro lado resta perguntar: se o Exército (como eles dizem,e não militares do Exército) praticou um "crime", qual o maior responsável deveria ser punido?

Um abraço,

ZEPOVO disse...

Um caso trágico, com muitos culpados.
É o resultado do que a sociedade fez com os favelados nas últimas décadas.
Hoje a favela tem dono, todos sabemos quem.
O assunto não se presta para bandeira política, e sim a alertar todos nós que um dia vamos ter que pagar a conta com juros pelo que sempre fingimos não ver.
Chamar melhorias para a população de ação eleitoreira é mais uma complicação. Quer dizer que não se deve fazer nada então?

DO disse...

Claro que houve um crime barbaro. Mas desde qdo exercito tem poder de policia? desde qdo exercito tem que fazer serviços de empreiteiras?

Isto tudo é uma grande piada de péssimo gosto.

Beijos!!

paschoal disse...

Comento: É triste dizer isto mas é uma verdade que não pode ficar só comigo. Essas coisas só acontecem porque os comandantes das três Forças se acovardaram há já muito tempo.
Já no período FHC que, sistematicamente, sucateou as FFAA, esses comandantes deveriam ter-se mobilizado no sentido de não permitirem que sua espinha dorsal fosse quebrada. Entretanto, considerando que, por outro lado, o FHC, dava a sensação de segurança, esses mesmos comandantes vestiram seus pijamas e se transformaram em uma espécie de coringa de jogo, só utilizável em emergência. Acomodaram-se imaginando que, jamais teriam que recolocar o Brasil nos eixos pois haviam entregue, à Nação, a Democracia. Ledo engano!
O sucateamento de que falo não aconteceu só na parte física das Forças que compreende armamentos, veículos militares, munição adequada, alimentação saudável e soldos. Foi sucateada a moral da Força, a ponto de, hoje, não ter uma só voz que se levante para denunciar o que todos nós já sabemos, o País virou uma sociedade privada onde só sindicalistas e ou compadres dos compadres mandam e desmandam além de esvaziar os cofres do Tesouro (soma de todos os tributos pagos pelos idiotas que somos nós).
A propósito, a única voz que iniciou uma fala verdadeira foi o General Heleno que, imediatamente foi emudecido.
Para que um homem com as qualidades do General Heleno tenha se calado, os argumentos usados pelo nelson jobim devem ter sido aterrorizantes, ou eu deveria dizer...vultosos? Coisa que eu dúvido porque o General não se venderia; entretanto estamos em um País diferente e por estas bandas da américa latrina, tudo é possível, logo, não ponha minha mão no fogo por nada e por ninguém.
E quer saber? PNC dos prejudicados!!! Como não escaparei, jamais, de pagar tributos também sou um deles (os prejudicados).

CAntonio disse...

Saramar,


Tudo foi "sem querer querendo". Nada do que esse governo faça, não é medido, visto e revisto.

A intenção era essa mesma: expor as FAs ao ridículo.

Quanto à corrupção envolvida no caso, isso também foi pensado. Afinal nada aconteceu ou acontecerá, para Crivella ou qualquer outro.

É assim mesmo.


Bjusmil

posturaativa disse...

Uma somatória de erros e descaso fazem com que populações sejam temerosas e/ou coniventes de bandidos, nesse caso específico, ferindo a Constituição, fizeram uso político das FA. Toda uma celeuma, mas onde estão os bandidos que mataram os 3 rapazes?

Ricardo Rayol disse...

nada como humilhar seus algozes, tem companheiro que deve estar tendo orgasmos múltiplos com isso.