ALIMENTANDO RAPOSAS

Ao ver, "como nunca antes na história deste país", o gabinete do ministro da integração social lotado de parlamentares e seus olhos gordíssimos sobre os recursos prometidos para Santa Catarina e nunca liberados pelo governo (?), confesso que fiquei nauseada e envergonhada diante de tantos vampiros desavergonhados, agindo à luz do sol. E nem deveria porque atualmente, "neste país", todo vampiro age no momento que bem entende. Para eles, os vampiros, abriu-se o dia além da noite a que estavam acostumados.

Ao vê-los, ávidos pela liberação de recursos do erário, pensei nos eleitores e de quantos sabem que o parlamentar em quem votaram provavelmente está, neste exato momento, praticando alguma ação contra eles e pior, sendo pago para isso com o dinheiro público.

Pagar a estes indivíduos para nos representar já me parece uma corrupção do papel que deveriam representar. Pagar o altíssimo preço que pagamos às excelências (um dos maiores do mundo) já configura violação. Porém, mais caro que qualquer e imoral vantagem que a eles pagamos, é vê-los usando o cargo que lhes entregamos para nos enganar, para nos roubar, para nos vender a aventureiros, como gado no matadouro.

É exatamente isso que fazem os integrantes do mercado de peixes (podres), usando o poder outorgado pelas urnas, como se estas lhes dessem o direito de cometer toda iniqüidade contra o povo que os elegeu.

Sentam-se as excelências em cadeiras confortáveis e caras (pagas com o dinheiro alheio), em seus edifícios chiques (mantidos com o dinheiro alheio), cercadas de assessores (pagos com o dinheiro alheio) para conjurar seus iguais contra aqueles que os sustentam e os mantêm.

São raposas no galinheiro e riem e gargalham, enquanto invertem a lógica em que se apóia a democracia, tomando de muitos para favorecer a poucos (e imundos).

E ainda dizem que a culpa é de quem os escolheu: o povo, esta generalidade que eles usam, sem sequer olhar, enquanto enganam com falácias baratas. O povo, esta entidade desprezada e abusada por seus supostos representantes cujo único intento é manter na mais absurda e indecente ignorância aqueles que lhes garantem a porca existência.

Os falsos discursos; as ações que nunca se concretizam, senão em palanques ou sob holofotes; a proteção aos criminosos; a amigável convivência com corruptos, o alinhamento com ditadores, enfim, a hipocrisia que caracteriza os políticos brasileiros são ingredientes de um venenoso bolo que estão intoxicando os cidadãos até quase a morte.

Porém, muitos sobrevivem a este envenenamento. Estes muitos, cansados de sustentar raposas, começam a reagir. Não são poucos, porque a maioria do povo brasileiro é honesta e não se mistura com corruptos e criminosos; antes, luta para se livrar deles.

É luta desigual, pois que eles usam nosso sangue para se fortalecer. Nossa arma é a informação, é o diálogo; eles usam o poder, o dinheiro arrancado dos cidadãos e a mentira.

A cegueira, porém não permanecerá, se permanecer a voz de quem, recusando-se a alimentar raposas, não se entrega nunca.

8 comentários:

Star disse...

Saramar, querida entre uma "diarréia braba" e um "sifu, são tantas emoções de espanto e revolta...

Vou pegar pesado com esses caras, falar o português bem chulo, ao gosto dos nossos governantes e no entendimento do povo.

DO disse...

Saramar,vou te confessar uma coisa: não consigo mais escutar esta corja. Tenho asco e ânsia.

Beijos!

guto leite disse...

Bom dia Saramar .. gostaria de deixar aqui algumas sugestões para sua análise, na tentativa de solucionar a situação em que se encontra o nosso tão prestimoso Congresso:

Primeira: Poderíamos colocar grades ao seu redor .. mas assim, correríamos o risco de transforma-lo em zoológico.

Segunda: Poderíamos levantar um muro bem alto a sua volta, mas assim tbm, correríamos o risco de transforma-lo num grande presídio, o que não seria de todo uma má idéia.

Terceira: Poderíamos cobrir com uma lona, mas correríamos o risco de acabar por transforma-lo num grande circo.

Quarta: Poderíamos colocar lanternas vermelhas transformando num prostíbulo, mas correríamos risco de acabarmos promovendo uma grande confraternização entre os parlamentares e suas digníssimas Progenitoras.

Quinta: Poderíamos dar a descarga, mas assim tbm continuaríamos correndo o risco de ver o vaso entupir, pois faltaria água pra levar vaso abaixo tanta MERDA ..

Sendo assim, esgotadas todas as hipóteses, só vejo uma solução minha cara amiga .. reza, mas reza muito mesmo Saramar .. pois a coisa esta mas feia do que a nossa vã filosofia possa supor .. um beijo grande do amigo tijucano .. guto leite.

paschoal disse...

Pois é minha cara Saramar, entra ano sai ano e a pouca vergonha continua.
Lamentavelmente somos a minoria dos que esperneiam e divulgam as famosas maracutaias, tão ao gosto do pelego-mor!
Tão cedo não nos livraremos dessa corja de sangue-sugas, as bolsas esmolas estão aí para garantir a manutenção delles no "pudê".
Se dependesse dos sulistas (SP,PR,SC,RGS)com certeza elles seriam eliminados rapidamente, mas..., existe o norte e o nordeste e aí é que o bicho pega. Além de há mais de sessenta anos sugarem a economia do Sul do País, ainda elegem e continuam elegendo esses dejetos aboletados no planalto central.
Solução existe mas não posso sugerir aqui, hehehehe!

Cecília disse...

Não consigo mais ouvir essa corja, nem TV tenho assistido mais...

Tenha um ótimo final de semana!
Beijossss

Cecília disse...

Não consigo mais ouvir essa corja, nem TV tenho assistido mais...

Tenha um ótimo final de semana!
Beijossss

posturaativa disse...

É mesmo de dar asco, enquanto a população está completamente abandonada esses políticos só pensam em sugar o pouco de recursos que o estado PROMETE.

Bill Falcão disse...

Fiquei aqui pensando naqueles filmes de gângsters, com James Cagney e Humprey Bogart!
Bjooooooooo!!!!!