14 DE JULHO: DIA DE SE ENVERGONHAR

GUTO LEITE
(nos comentários)


Hoje, 14 de julho, dia que se comemora o aniversário da Revolução Francesa, é dia para nos envergonharmos.
Dia para lembrarmos os ideais de Liberdade, Igualdade, Fraternidade e nos envergonharmos.
Dia para recordar o exemplo que nos foi dado pelo povo francês, e nos envergonharmos de nós. Para nos envergonharmos de nossa falta de iniciativa contra tudo o que este governo faz com a Nação Brasileira.
É dia para nos envergonharmos de nossa passividade. Para nos envergonharmos de nosso falso moralismo; de nossa leniência, de nossa falta de vergonha.

É dia para nos envergonharmos de um senado que tem 81 senadores e cuja gráfica tem 1100 funcionários, isso mesmo, hum mil e cem funcionários. De nos envergonharmos desse mesmo senado que tem mais de dez mil funcionários para atender 81 senadores. Sequer sei dos números da câmara federal, mas temos de nos envergonhar mesmo sem saber desses números, pois não são melhores que os do senado.

Hoje, 14 de julho, dia que a Revolução Francesa nos deu o maior exemplo de como cuidar da Res Publica, é dia de nos envergonharmos.
De nos envergonharmos de nossa pusilanimidade, de nos envergonharmos por deixarmos a decisão dos nossos problemas para os outros.
De nos envergonharmos por não votar nulo ou não comparecer para votar como forma de protesto.
De nos envergonharmos por não ir para as ruas gritar em protesto contra tudo o que julgamos errado.
De nos envergonharmos por viver num país onde um motorista do Senado ganha mais para dirigir um automóvel do que um oficial da Marinha para pilotar uma fragata; onde um ascensorista da Câmara Federal ganha mais para servir os elevadores da casa, do que um oficial da Força Aérea para pilotar um Mirage; onde um diretor que é responsável pela garagem do Senado ganha mais que um oficial-general do Exército que comanda um regimento de blindados; onde um diretor sem diretoria do Senado, cujo título é só para justificar o salário, ganha o dobro de um professor universitário federal concursado, com mestrado, doutorado e prestígio internacional; onde um assessor de 3º nível de um deputado, que também tem esse título para justificar seus ganhos, mas que não passa de um "aspone" ou um mero estafeta, ganha mais que um cientista-pesquisador da Fundação Instituto Oswaldo Cruz, com muitos anos de formado, que dedica o seu tempo buscando curas e vacinas para salvar vidas.

Precisamos de um choque de moralidade. Mas não de um choque de moralidade que parta do outro, mas que parta de cada um de nós.
Precisamos nos envergonhar dos oportunismos e dos cabides de emprego; precisamos nos envergonhar do destino que dão aos impostos que pagamos com tanto sacrifício. Precisamos nos envergonhar dos currais eleitorais que transformaram o Brasil numa oligarquia sem escrúpulos e sem honra.
Precisamos nos envergonhar da nossa imprensa refém do governo, ela mesma que poderia ser o nosso grito de vergonha e de revolta.

Mas não é preciso somente nos envergonharmos. É preciso nos envergonharmos e protestar. Protestar nas ruas, no trabalho, nas escolas. Protestar em todo lugar e sempre. Porque sem revolta e sem protesto, cada vez teremos mais coisas das quais nos envergonhar.

5 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns Saramar


Texto emocionante, pena que o país é habitado por gente para quem a leitura é um fardo.

tunico:uma pessoa comum,branco de olhos azuis disse...

O Brasil hoje é assim:

Liberdade(ainda), Desigualdade e Fraticidade

Odele Souza disse...

Querida Saramar.

Acredito que a mudança só correrá no dia em que houver a união do protesto com a ação. Queria ver se como você diz aqui, se TODOS não votassem como forma de protesto, se TODOS fossem às ruas para reclamar os seus direitos, se TODOS REIVINDICASSEM e EXIGISSEM SEUS DIREITOS. Se TODOS...a situação vergonhosa em que se encontra nosso pais haveria de mudar.

E ao ver a indolência, a lertargia, o conformismo do povo, me vêm sempre à mente a frase de Martin Luther King:

"O que preocupa, não é o grito dos corruptos, dos desonestos,... o que preocupa, é o silêncio dos bons"

Um forte abraço amiga.

Guto Leite disse...

De nada adianta onosso protesto, a nossa indignação, se nada efetivamente fizermos .. um beijo grande meu .. guto leite

DO disse...

Um texto perfeito,SARAMAR!! Parabens mesmo. Pegou o gancho da revolução francesa pra nos dar uma importante e oportuna lição.

Beijos!