HIDRA INVENCÍVEL

Imagem do Google


Em 2002, tornou-se claro que o então candidato a presidência, Luís Inácio da Silva, iria ser eleito. O pânico tomou conta do país. Lembro-me de ouvir de muitas pessoas que, sob o governo do petista, a baderna instalar-se-ia no Brasil; baderna social, política e, principalmente econômica, interligadas em simbiose geradora do caos. As cidades seriam invadidas pelos movimentos dos sem terra e/ou dos sem teto. Os sindicatos, todos aliados do PT, promoveriam greves intermináveis e constantes, perturbando setores essenciais das atividades sociais e econômicas, desestabilizando as empresas e promovendo uma insegurança generalizada na sociedade. A inflação iria subir e o povo iria se revoltar. O Estado seria aparelhado por amigos do rei e o salário mínimo chegaria às alturas celestes, falindo de vez a previdência social, as empresas e as prefeituras de todo o Brasil. Em linhas, gerais, a eleição de Luis Inácio da Silva seria o começo do fim.

Como a vitória do petista era certa, coelhos saltaram de inúmeras e poderosas cartolas na tentativa de salvar o país. Não me admiraria se gente da oposição (ahn?) tenha fornecido ajuda substancial o futuro presidente.

E eis que veio a salvação da pátria: a carta aos brasileiros, na qual o candidato dos sonhos de todos os esquerdistas se comprometeu a manter a ordem, a dar continuidade à política econômica dos tucanos e a honrar os contratos firmados. Ufa! Paz e felicidade instalaram-se no país e o operário-nordestino-analfabeto finalmente subiu a rampa do Planalto.

E tudo seguiu conforme o combinado. Baderna? Caos? Ora, como os adversários estavam enganados! A república dos trabalhadores estava instalada e o Brasil deslizava suave no crescimento, no desenvolvimento, nos projetos sociais. Aparentemente.

Como fomos inocentes! Convivemos com os chacais, fizemos acordos com o demônio. Pergunte aos políticos e aos intelectuais honestos e a importantes ex-petistas. Hoje, eles e o resto do país sabem disso.

Enquanto os cidadãos trabalhavam para construir seus sonhos, levando com eles, o Brasil para o desenvolvimento, o petismo trabalhava em desvãos imundos para comprar rapidamente o congresso nacional e levar a República e a democracia para o lixo. Por um acidente de percurso, os criminosos foram descobertos e acabou-se para sempre, a lua de mel entre o país e seus governantes.

Entretanto, o petismo não se abateu porque, como a Hidra de Lerna, tem inumeráveis cabeças, todas venenosas para a democracia. Sub-repticiamente, como é do seu feitio, foi se assenhoreando das entidades públicas, foi vendendo partes do erário aos aproveitadores públicos ou particulares. Assim, a implantação do seu projeto comunista continuou com o processo de destruição das instituições sociais e da cultura própria do nosso país.

Por mais de uma década, tal processo vem sendo alimentados com ações e omissões, com leis, projetos, discursos, condutas. A institucionalização do racismo, por meio das cotas; a perpetuação da miséria e da dependência, por meio do bolsa esmola; a doutrinação esquerdista, por meio da educação formal; o fortalecimento de bandos criminosos que assaltam propriedades alheias, por meio do apoio logístico e do dinheiro público; a satanização do parlamento, por meio da compra e venda de votos; a desmoralização da justiça por meio de discursos e pronunciamentos oficiais; o abandono dos deveres do Estado (educação, saúde, segurança) previstos na Constituição; a destinação desenfreada e sem qualquer justificativa de recurso públicos a países afinados com o projeto comunista; a desmoralização da família tradicional; a supervalorização de manifestações artísticas importadas, com características nefastas, como a obscenidade e a incitação ao crime; etc. Estes são alguns poucos exemplos do processo de destruição da sociedade brasileira, promovido pelo governo petista.

Hoje vivenciamos as consequências desta década de perdição. Hoje, estão diante dos nossos olhos todas as desgraças previstas pelos adversários políticos do petismo e por quem conhecia e conhece bem os resultados do projeto comunista onde quer que instale. Como num círculo infernal de horrores, hoje, vivemos o caos social, político e econômico.

Demorou mais de uma década, mas Luis Inácio da Silva e seu partido conseguiram rasgar a carta aos brasileiros como, aliás, sempre foi seu objetivo e justificar o pânico que todos sentiram ao vê-los no poder, descrito no primeiro parágrafo.

5 comentários:

Ferra Mula disse...

Olá Saramar.

Raio X e diagnóstico perfeitos.
Um fraternal abraço e um bom fim de semana.

Airton.

Ferra Mula disse...

Saramar

Peço gentil fineza alterar o link do Ferra Mula para

http://ferramula3.blogspot.com.br/


Grato

Airton.

Paschoal Claudio disse...

Cara Saramar
Depois de afastado algum tempo, voltei na tentativa de ajudar os blogueiros anti-petralhas a somar mais um voto contra o "socialismo" que ai está. Farei como o passarinho que ajuda a apagar o incêndio.
Como sempre sua coluna está clarissima, didática e verdadeira!

Anônimo disse...

Depois desse texto, não me surpreende que essa porcaria esteja há mais de um ano em hibernação.

Anônimo disse...

http://www.votenaweb.com.br/projetos/impeachment