CEGUEIRA


“Não houve o mensalão, e essa é uma das dívidas
de parte da imprensa com a opinião pública”.
Marco Aurélio Garcia, presidente do PT



Francamente, não sei qual é a atitude mais grave do lulo-petismo após a reeleição, se o cerceamento da liberdade de imprensa, por meio da intimidação já a pleno vapor ou se a tentativa de alterar a lei para impedir o cumprimento de ordem judicial que condenou o “intelectual” Emir Sader.

As ameaças aos jornalistas que cobriam a festa da posse de Lula, a absurda detenção dos jornalistas de VEJA, a censura a Jabor, a Olavo, a Carlos Chagas não são ações isoladas. Pobres daqueles que, como diz meu amigo DO, são avestruzes e insistem em continuar cegos sobre sua intensidade e gravidade.
O que pensa o PSDB, irmão siamês do petismo, por exemplo, ao ver sua estrela (argh!), FHC, chamada de decadente por Santayana? Meu Deus, será o apocalipse? Não, claro que não. É apenas o lulo-petismo em sua prática habitual de descarte. Bem feito!

Outra questão: parlamentares estão articulando um movimento no congresso nacional para impedir o cumprimento da sentença judicial que condenou Sader.

Em qualquer país democrático, isso constitui conduta gravíssima que coloca em risco os poderes republicanos pelo precedente que abre.
Onde estão os presidentes das duas casas legislativas que não se pronunciam em defesa da legitimidade das leis que ali se originaram? Onde estão os representantes do poder judiciário afrontados por defensores de réus condenados?

Quanto aos cidadãos, anestesiados há tempos, sequer devem saber o que está acontecendo nos bastidores do governo de Lula da Silva. E, pelo jeito, mesmo que saibam, tudo continuará evoluindo para o privilégio desses transgressores.

A conjugação dessas duas condutas, ambas ilegais, de acordo com a Constituição Brasileira, deixou de ser um sinalizador para se constituir no perigo propriamente dito. Não se trata mais de ameaça ou paranóia oposicionista. É a realidade que começou a mudar a partir do momento em que o presidente do TSE anunciou a vitória do líder.

Resta esperar pela desculpa da hora para justificar a omissão e a imobilidade da “oposição”, esse ectoplasma que não baixa por essas bandas nem à custa de reza brava.

5 comentários:

Stella disse...

querida Sara, eles escreverão a história seguindo seus interesses.
Com a mídia acuada e a população letárgica eles continuarão moldando a lei em benefício próprio

Lino Resende disse...

A intimidação à mídia, principalmente pela tentativa de estrangulamento econômico, faz lembrar os dias da ditadura, quando este era um dos principais mecanismos para conseguir a adesão ao poder.

Ricardo Rayol disse...

Vamos ver como fica... se o congresso assinar embaixo estamos realmente à beira da venezuelização.

Rodrigo Xavier disse...

Saramar,

Do partido que defendia a ética na política, passou-se a considerar a democracia uma imoralidade. Ora vejam vocês, um intelectual como Emir Sader sendo processado por um fascista como... Jorge Bornhausen. O petismo é isso aí: desclassifica-se qualquer oposição, e quando não for possível, apela-se à mordaça. E pior, agride as instituições como método de defesa do Politburo.

Abraços.

Blogildo disse...

Por sinal, já se fala em obrigatoriedade de identificação de internautas mo Senado. A estrovenga é coisa de Delcídio Amaral (o petista light da CPI dos Correios) e Eduardo Azeredo (aquele tucano amigo do Marcos Valério).

Se depender da oposição a gente tá frito!