BRASIL, AME-O OU DEIXE-O

Lula repetindo o jargão do governo Médici é interessante em vários aspectos.

O primeiro se refere à língua. O líder de plantão jamais saberia usar ênclises, próclises e mesóclises como Médici. Por isso, foi direto: "quem não acredita no Brasil, vá embora".

Outro aspecto é o autoritarismo característico dos esquerdistas: nada de "deixe-o", mas "vá embora". Praticamente uma expulsão.

É claro que durante o governo militar muitos tiveram mesmo que ir embora, expulsos de outra forma, da forma típica das ditaduras. Porém, vivemos agora sob um regime democrático. Ou não? Quem é o presidente da república senão um servidor público? De onde ele tirou a idéia de que pode simplesmente mandar embora os brasileiros que trabalham em favor do país, mesmo descontentes?

Mas o aspecto mais grave da infeliz frase (e qual dele não é?) remete à tendência dos lulo-petistas, principalmente do seu líder, de confundir o país com o governo, claramente visível em suas palavras. Todos sabem o que ele quis dizer.

O povo brasileiro acredita no país, senhor presidente. Nossa descrença é em relação aos governantes que teimam em jogar por terra todo o esforço dos cidadãos, sua luta diária, seu sofrimento e suas crenças na legalidade, na ética e na honestidade.

O povo brasileiro acreditaria muito mais no Brasil se ele não estivesse sendo dirigido por um bando de falsos messias que privilegiam os interesses alheios e deixam a população abandonada, sem rumo e sem esperança, enxergando apenas o caos em futuro próximo.

Acreditar no país não se confunde com acreditar naqueles que o governam (?). Os brasileiros já estão acostumados a ver, no governo, o inimigo do país.

Porém, que estes inimigos não pensem que iremos embora deixando o país para qualquer um que pretenda destruí-lo, entregando-o nas mãos enganosas dos esquerdistas. Não iremos embora. Aqueles que querem nos expulsar, ficando livres para instalar a escravidão à moda cubana, não terão esse prazer.

Eles terão que nos engolir, como diria Zagalo.

7 comentários:

junior disse...

Palavras muito bem colocadas, Saramar. Parabéns.
Infelizmente eu não sou tão crente nessas pessoas abandonadas pelo governo, pelo contrário. Na minha visão esse governo é reflexo do povo, e não o contrário. Triste.
Um beijo

Moita disse...

Sarita

Perfeito. Poucos escrevem com a clareza e perspicácia que voce.

De fato, funcionário público não tem autoridade pra expulsar cidadão nenhum do País.

mil beijos

DO disse...

SEi não,viu Saramar. Não estou tão confiante assim...
Beijos!!

Alexandre, The Great disse...

Saramar.
O Brasil resistirá a "eles", ferido,mas resistirá.
Valoroso este seu post, parabéns!

Pata Irada disse...

Se quiserem nos expulsar vão ter muito trabalho. hehe!

Querida arranjei uma tarefa pra você.
Pra não ter a "praga do mil camelos Tibetanos".
É só dizer qual é o objetivo do teu Blog, como começou etc. Fazer um resumo histórico, eu acho.
Bem, te indiquei!

Um beijão.

Fábio Max disse...

Bem colocado, Saramar!

Eu acrescento que teve muitos que fugiram mas voltaram clandestinamente naqueles anos de chumbo, para, bem ou mal, lutar pelo que acreditavam e pelo Brasil.

Mas teve muitos que, porém, fugiram e voltaram clandestinamente, mas como COVARDES, se escondendo em cidades minusculas do interior, enganando pessoas e escamoteando até suas idéias políticas distorcidas, para se apresentarem apenas quando acabou o chumbo vindo de cima e vangloriarem-se de uma luta na qual não empenharam nem sangue, nem vergonha na cara, que, afinal, foi modificada...

Rogerio B. disse...

ah, hmm... se quiserem me expulsar, vou na boa. o difícil vai ser outro país me aceitar! :P

Saramar, que surpresa boa seu blog. o texto é de uma inteligência simpática e gostosa de acompanhar.

como dizem aqui no sul: voltaremos!