MST – DE NOVO "UM TIRO NO PÉ"

A imagem, clonei lá do Trem Azul


um artigo de Eduardo Allgayer Osorio,
Engenheiro Agrônomo, Prof. Titular da UFPEL, aposentado



A cada dia, uma nova surpresa promovida pelo movimento dos trabalhadores sem terra. E desta vez contra os interesses dos próprios assentados, constrangidos pelo INCRA a destruírem seus plantios de eucalipto.

A grande dificuldade do estilo de reforma agrária adotado pelo INCRA é justamente não conseguir viabilizar nos assentamentos uma produção agrícola sustentável. Deixando de prestar a necessária assistência aos agricultores assentados, visando tornarem produtivas as terras recebidas, o INCRA nada mais faz do que transformar latifúndios improdutivos em minifúndios igualmente improdutivos.

E quando surge uma iniciativa de produção agrícola organizada e auto-sustentável, desenvolvida em parceria com uma empresa privada, que fornece aos assentados os insumos necessários (mudas, adubo, defensivos), orientação técnica e garantia de comercialização do produto colhido, vem o INCRA a constranger os agricultores a destruírem seus próprios cultivos. E constrangimento é a palavra certa já que cada assentado que optou pelo programa Poupança Florestal o fez de forma voluntária, enxergando neste empreendimento uma boa oportunidade de negócio.

Os argumentos do INCRA carecem de qualquer sustentação técnica. A iniciativa de proibir o plantio de árvores exóticas se baseia em que? Assim como o eucalipto é exótico, igualmente o são o pessegueiro, a pereira, a macieira, o café e todas as demais árvores cultivadas. Vão ser todas elas igualmente proibidas de plantar? Em qual livro de agronomia se baseou o INCRA para esta proibição? Igualmente exóticos o são a soja, o arroz, o milho, o trigo, o tomate, enfim, a quase totalidade dos cultivos da agricultura familiar. Vão ser todos proibidos de plantar?

Sabidamente, uma exploração agrícola sustentável deve incluir vários tipos de lavouras, umas anuais, como o milho, a batata e o feijão e outras perenes, como as produtoras de madeira, as frutíferas ou o café. No sistema adotado no programa Poupança Florestal é norma imposta que o plantio de eucalipto não pode exceder 20% da área da propriedade, não competindo o cultivo florestal com qualquer das demais lavouras.

O que torna mais trágica a ação feita, de viés puramente ideológico, é que os demais cultivos que deveriam acompanhar o eucalipto, não existem nas propriedades onde aconteceu o constrangimento à destruição. E o motivo vem da incompetência do INCRA, que deixa de executar sua função de prover os assentados com os meios de produção necessários e a orientação técnica imprescindível a uma exploração agrícola sustentável da terra recebida.

O que não conseguem esconder é que, por traz disso tudo está uma ação orquestrada que tem como objetivo afugentar os vultosos investimentos florestais que aqui aportam com potencial para reverter a situação de miséria vigente na região, promovendo empregos, renda e bem estar social.

O Governador que conseguiu inviabilizar a implantação de uma montadora de automóveis no Estado, contribuindo para o progresso da Bahia, foi a apelidado de "Exterminador do Futuro". Teve resposta nas urnas, ocasião em que a sociedade rio-grandense manifestou seu repúdio a este tipo de ingerência contra os interesses da população. Mas pelo visto, restaram uns quantos "filhotes", bem treinados nas técnicas de destruição das aspirações e sonhos coletivos por melhores dias.

Urge que a sociedade externe sua indignação e inconformidade, condenando publicamente os que agem contra os interesses da coletividade, impedindo o progresso e a redenção de uma comunidade já cansada de padecer com o sub-desenvolvimento.

4 comentários:

david santos disse...

Olá!
Bom trabalho. Obrigado por fazê-lo.
Bom fim-de-semana

DO disse...

A socidade esta inerte,SARAMAR. Com medo e fechada em copas.
Só se fôr clamada pela midia,ops pela Globo. Como tudo que aconteceu de grandioso neste país.
Beijos!!

Santa disse...

Agradeço a vc, sempre especial e atenciosa, e a todos que mais uma vez estiveram comigo nos momentos ruins que passei com doença encolvendo 3 pessoas da minha família. Duas hospitalizadas (ao mesmo tempo): minha filha e um dos meus irmãos. Vocês não fazem idéia o quanto é confortante contar com o carinho dos amigos - meus leitores queridos. Beijos.

Ricardo Rayol disse...

Não sei por que o espanto. O INCRA é um dos in´pumeros cabides de emprego onde foram alocados os aliados do (des)governo. Se o (des)governo é incompetente (1° escalão) o que dizer do 38º...