PLANALTO CENTRAL

Imagem: Bates Littlehales

Enquanto, do planalto central, as ervas daninhas se espalham céleres
enquanto do planalto central, a promiscuidade avança, lama a se derramar
enquanto no planalto central, os torpes se vendem, se dão de bandeja
enquanto do planalto central, a honra se evade, humilhada,
o mundo queima e a violência -qual carcará famigerado- “pega, mata e come”.
O que importa, porém, se tantos morrem? O que importa algumas vidas, os indivíduos? Sempre surgem outros, sempre haverá vítimas, não é de hoje que se mata e sempre haverá carne para se cortar.
O que importa são as máscaras, são os botox nas caras-de-pau, são os corredores infames da negociata, da compra e venda, o indecente comércio de almas, antes camuflado e agora, esfregado na cara dos cidadãos cotidianamente.
O mundo tem um fuso no planalto central do Brasil. Chama-se PODER.
Dentro dele, nada há. Nem honra, nem ética, nem fidelidade.
Fora dele, nada há. Nem pessoas, nem vidas, nem mortes.
E, se houver, não interessa. O importante é o fuso.

3 comentários:

tunico disse...

Querida Saramar:
É esse quadro horrível que se delineia num futuro não tão longínquo.Essa turma sabe que tem só mais 3 anos e 9 meses para realizar seus objetivos.Não está na hora de sair do casulo?

Vamos provocar o Ipojuca, o Reinaldo Azevedo e outros com visibilidade para começar uma reação explícita agora.Nós aqui da arquibancada podemos apoiar e provocar. No Congresso já deu pra ver que não tem ninguém. Todos vendidos.Sem exceções.Eu inundaria aquilo com toneladas de Baygon.Matava todas as baratas lá.

PHYLOS disse...

Gostei do seu espaço. E compartilho da opinião. Só destaco que o fenomeno não é nacional, é mundial, é talvez uma caracteristica do ser humano. Nada como experimentar para se testar. Abç.

CAntonio disse...

Saramar,

Simplesmente brilhante, infelizmente.

Bjusmil