CÉLULAS-TRONCO, LIBERAÇÃO JÁ

Blogagem Coletiva, proposta pelo David


O uso de células-tronco para o tratamento de órgãos e tecidos lesados, abre as portas para uma nova era, rica em possibilidades, através da chamada medicina regenerativa, cujo potencial pode ser comparado ao do advento da penicilina. Porém, sua utilização ainda depende de muitas pesquisas, financiamentos e disposições políticas, éticas e morais.

O tratamento com células-tronco se destina principalmente aos portadores de doenças crônico- degenerativas, que afetam pessoas na terceira idade.

Na Bahia, por exemplo, o Centro de Pesquisa Gonçalo Moniz, da Fiocruz, já realizou transplante de células de medula óssea em pacientes com insuficiência cardíaca devida à doença de Chagas, com excelentes resultados. O mesmo procedimento é utilizado no Instituto do Coração (Incor) de São Paulo. Segundo Ricardo Ribeiro dos Santos, "esta é uma tecnologia compatível com o Sistema Único de Saúde (SUS), uma vez que o procedimento é muito mais barato do que um transplante cardíaco convencional. Acredito que, com boa vontade política, poderíamos atingir uma população carente, entre dois ou três anos" [1].

As células-tronco também são usadas no tratamento de lesões traumáticas; para a obtenção de tecidos, tais como ossos, pele e cartilagem, que são cultivados e reimplantados nos pacientes em casos de lesões, de cardiopatias.

Com a utilização de células-tronco do próprio paciente, provavelmente abre-se um campo que poderá ser importante no tratamento de doenças auto-imunes, tais como a artrite reumatóide, o lúpus eritematoso sistêmico e a nefrite lúpica, conforme demonstram experiências realizadas pela equipe de Júlio C. Voltarelli, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP, além da diabetes melitus.

A polêmica que envolve o uso de células-tronco relaciona-se diretamente à possibilidade da utilização de embriões como doadores dessas células, o que inevitavelmente irá matá-los. Portanto, inclui a questão essencial da “delimitação do instante no qual quisermos atribuir a um conjunto de células o respeito devido à vida” (Marco Segre) [2].

Por esse motivo, todas as técnicas relacionadas são condenadas pela Igreja Católica que tenta, de todas as formas, proteger um conjunto de células, já chamadas pelos cientistas de pré-embriões (fruto de fertilização in-vitro, quando ainda não implantadas no útero) impedindo a configuração de um conjunto de leis que regulamentem o assunto. Vale lembrar que o embrião só se torna um feto após oito semanas de desenvolvimento intra-uterino.

É exatamente o que acontece agora, após a aprovação da Lei de Biossegurança (Lei nº 8.974/95) e seu substitutivo, a Lei n.º 2.401. Esta nova lei, apesar de pouco ter mudado a anterior (continua proibindo a manipulação de embriões humanos) prevê algumas exceções para "intervenção em material genético humano in vivo" o que poderia possibilitar, dependendo da interpretação da lei, pesquisas com células-tronco embrionárias.

Como disse a cientista Mayana Zatz no jornal Folha de S.Paulo, "é impossível que uma pessoa possa olhar nos olhos de um filho preso a uma cadeira de rodas e dizer-lhe que sua vida vale menos do que a de um embrião congelado" (Painel do Leitor, 29/6/2004, página A3) [3].

Porém, o ex-procurador geral da república, Carlos Fonteles parece não se preocupar com filhos em cadeiras de rodas. Por isso, propôs, ao Supremo Tribunal Federal (STF), uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) na qual, afirma que a Lei de Biossegurança, quando permite a pesquisa com células-tronco embrionárias, vai contra o princípio da inviolabilidade do direito à vida, que aparece no caput do artigo quinto da Constituição (dos direitos e garantias fundamentais). Este católico procurador é o mesmo que pediu a proibição do aborto de feto anencefálico que, certamente, morrerá ao nascer. Mas, para o procurador, interromper essa gravidez é violar o direito à vida.

Agora, no próximo dia 20 de abril (sexta-feira), a Adin debatida em audiência pública convocada pelo Supremo Tribunal Federal. Pela primeira vez em sua história, o STF realizará audiência pública para ouvir especialistas antes de julgar o mérito de uma ação (copiei do David).

É hora de mobilização para aqueles que lutam pelo progresso da ciência e pela vida humana digna e saudável. Vamos, então, mostrar ao STF o que pensamos, enviando cartas, emails ou ligando para os ministros.

Finalizando transcrevo um pensamento que reflete o que penso sobre esse assunto, retirado do excelente site MOVITAE, uma organização que tem com principal bandeira a luta pela legalização do uso terapêutico de células-tronco embrionárias.

"Impedir a pesquisa com células-tronco é impedir o avanço da ciência em prol da saúde e felicidade de doentes e familiares de milhares de pessoas no mundo. Ninguém pode impedir isso usando a religião ou qualquer outro motivo como justificativa. Quem não concordar com as pesquisas, tem o livre arbítrio de não se beneficiar dos avanços da ciência, assim como fazem as testemunhas de Jeová ao não aceitarem a transfusão de sangue.Por acaso eles procuram a aprovação de leis que impeçam que outros façam transfusão?" (Roberto Medeiros Pontes, farmacêutico, São Paulo – SP).

Referências
[1] Imunologista e coordenador do Instituto do Milênio de Engenharia Biotecidual (IMBT).
[2] Professor do Departamento de Medicina Legal, Ética Médica, Medicina Social e do Trabalho da FMSUP, membro da CONEP (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa), membro de CoBi (Comissão de Bioética do HC/FMUSP) e presidente da Sociedade de Bioética de São Paulo (S.B.S.P).
[3] citado por FEDER, Leonardo: A fotografia do absurdo,
aqui.

21 comentários:

david disse...

Isso porque vc escreveu só um pouquinho né?
Perfeito, Saramar...perfeito.

DO disse...

Achei excelente a iniciativa,SARAMAR.
Confesso que aprendi muito aqui hj.
Parabens!!

Beijão e uma otima semana!!

Fábio Max disse...

Obrigado por esclarecer muitos fatos, Saramar!

Apóio a pesquisa!

cejunior disse...

Saramar, obrigado, aprendi muito neste seu post. Como comentei lá no David, talvez tenha faltado um pouco mais de informação para a população sobre esse assunto e da forma como você colocou aqui, bem clara e acessível.
Agora, um Procurador Geral da República confundir seu cargo é intolerável. República é república e convicção religiosa é outra coisa.
Um beijo.

Ricardo Rayol disse...

Mandou muito bem minha querida, como disse o daviD, perfeito.

Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Saramar...

Te vi passando pelo TRILHAS & TERRAS e vim te deixar meu abraço e minha admiração pela forma com administras teu tempo e teus espaço e sempre todos muito bem organizados e atualizados. Eu mal tenho tido tempo para postar, quem dirá, visitar e o máximo que estou conseguindo fazer, é ir nos espaços dos que me visitam, para agradecer, tal qual estou fazendo agora. Voltei á universidade e para mais um curso e estou tendo de ler muito e mal dou conta do recado e por essa razão é que tenho andado por fora dos espaços costumeiros.

Parabéns por essa tua janela!!!

Bos sorte e um beijo!!!
Cris

Pata Irada disse...

Oi querida Saramar

O mais estranho de tudo é que um assunto tão importante como esse esteja meio que "jogado" dentro de uma lei que trata de vários assuntos.

Vale a pena ler o artigo:
Lei de Biossegurança Medusa legislativa?
http://www.ufrgs.br/bioetica/ibiosseg.htm

Uma boa semana e um beijo.

Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Sobre as pesquisas da célula tronco e a empatação gerada pela porcaria da igreja, essa mesma que a única coisa que sabe mesmo fazer direito, é ocupar lugar de destaque na cadeia impeditiva para o avanço e crescimento da humanidade em todos os setores, resta-nos esperar que um papa desses (que depois de morto os devotos ensandecidos e enebriados resolvem transformá-los em santos), adoeça seriamente e precise de um tratamento para sobreviver, como todo bom e comum mortal e aí, quem sabe, esses idiotas todos somados, voltem-se ao que lhes cabe de fato, que é o espaço restrito da sacristia e as naves mães de cada capelinha desse planeta!!!

Nunca vi tamanha intromissão onde não são chamados e onde não lhes cabe opinar e especialmente por não serem da érea, não fazerem parte das pesquisas científicas e se colocarem exatamente no meio de um estudo que sjudará justamente onde a igreja e nada mais, poderá ajudar e essas antas, se colocam a atrapalhar... Desculpas, mas para mim uma das grandes perdas da humanidade, é dar crédito onde o débito é um poço sem fundo...

Beijinhos,
Cris

Silvio Vasconcellos disse...

Saramar, fui criado a uma distância relativa da igreja. Frequentava, mas sem grande fervor. Hoje, guardo minhas próprias crenças e aceito a religião como uma forma de parábola filosófica. O problema é que a grande massa, seja no ocidente como no oriente médio, acredita nas suas interpretações massificantes. Se a inteligência humana foi capaz de desenvolver-se ao ponto de buscar em células a sua continuidade saudável no mundo, porque esses falsos moralistas, pedófilos em grande parte e genocidas em outra proporção criam mecanismos que facilitam a dominação da população, prometendo salvações divinas enquanto a qualidade de vida já está disponível? Embriões congelados, cordões umbilicais, ou viram lixo ou estorvo. Que se faça daí a vida!

Um beijo

PS: seu comentário no Mini-contos: procurei a imagem menos chocante. São mochilas abandonadas no campus. Havia muito sangue nas imagens e procurei aquela mais significativa, que não se aproveitasse do sofrimento para chocar.

Santa disse...

Juntar, David e Saramar só pode dar overdose de competência... Beijos.

Ricardo disse...

Saramar, passa lá no cor e naquela zona que o david chama de blog que tem missão pra vc.

Patrick Gleber disse...

Existem assuntos que transformam a blogagem coletiva em uma verdadeira aula. Esse foi o caso quando o assunto foi células-tronco. Parabéns Saramar.

A PRG está investigando um possível mensalão II. Leia mais no meu blog

www.blogdopatrick.br21.com

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Saramar:

O Estados Gerais solicita o teu prezado comentário a assunto deveras preocupante.
Um abraço,

Patacoadas do Cleber disse...

Saramar, ótimo artigo e excelente pesquisa. Aprendi muito. Abs

Manoel Carlos disse...

É um assunto muito importante, sou favorável ao uso de células-tronco; de qualquer forma, estas questões precisam ser discutidas, pois atualmente não basta sabermos o que podemos fazer, mas o que devemos fazer. Mais que nunca, com os avanços tecnológicos e científicos, a bioética se torna essencial.

PELADUZ disse...

Também concordo,

Liberem já.

Vou encomendar célula da Sônia Braga, depois em penso em aumentar a lista.

ROÇA COISA É OUTRA LIMPA disse...

Será que um dia aprenderemos que religião é comércio e meio de vida para poucos?

ROÇA COISA É OUTRA LIMPA disse...

Esse material é jogado no lixo diariamente.Material que libertaria milhões de pessoas de seus males .

smareis disse...

Oi, entrei pelo blog de amigos, e vim conhecer seu cantinho.
Achei seu texto muito importante. E acho que ninguém pode impedir uma coisa dessa. Quantas pessoas que precisam de uso de células-tronco para o tratamento. Veja bem, Deus quiz claramente na Biblia que daria inteligência aos cientista para cura de várias doenças, então como alguém pode tentar proibir isso. Será que ele pensaria isso se dependesse desse tratamento.Tenho um filho que é diabetico, e sei como é doloroso isso.O uso de células-tronco iria ajudar muitos que sofrem.
Ótimo fim de semana.
Bjs no coração!

tunico disse...

Saramar, querida. Bela aula. Decidiu escrever só uma vez por semana?

MARIA VALADAS disse...

Bela aula, minha querida!
Aprendi muita coisa que desconhecia...
Aqui vai o meu terno agradecimento!

Bom fim de semana

Beijinhos da

Maria