DIA DE CUMPRIR SEU DEVER

Neste país, há vários grupos de desocupados que vivem às custas do dinheiro de quem trabalha. Não são apenas os políticos. Estes, trabalham muito, cuidando do sua conta bancária, dos seus parentes, amigos e acólitos.

Não bastassem esses... esses... esses políticos (argh!), há grupos piores e entre estes, o pior de todos: os sindicalistas, expressão mais atrasada e nefasta do antiquado trabalhismo brasileiro.

Isso no campo da legalidade, porque há também bandos que se enquadram em vários artigos da legislação penal brasileira, especialmente naqueles que tratam de formação de quadrilha.

A semana passada foi marcada pelas "ações" de todos esses desocupados.

Os primeiros, assustados com os efeitos de certa navalha, atarantados como seus eleitores deveriam estar (se votassem conscientemente), nada mais fizeram que contestar a polícia e principalmente se calar. Todos tão prudentes, tão circunspectos! Nenhum deles, porém se referiu aos interesses do país, à necessidade de esclarecer quem são os corruptos e de puni-los de forma contundente para desencorajar o assalto ao erário.

Os sindicalistas (argh!) atrapalharam a vida do país inteiro, conscientes de que, neste governo, podem tudo.

Neste tudo está incluída a ocupação ilegal da USP por estudantes (???) avessos à transparência dos gastos com recursos do erário e por isso, contrários à exigência de prestação de contas das despesas da universidade pagas com o DINHEIRO PÚBLICO; está o bloqueio de trinta estradas (sim, pasme) provocando o caos na vida de quem ganha o pão trabalhando; estão as greves sem motivo algum (lembra-se quando greve era o mais extremo recurso, só adotado depois que todas os outros se esgotassem?).

O último grupo, aquele que deve ser enquadrado nas penas da leis por formação de quadrilha e por colocar em risco "a segurança ou funcionamento de serviço de água, luz, força ou calor" (art. 15 da Lei de Segurança Nacional), são os mentores do MST e os responsáveis pela invasão da Usina de Tucuruí, entre eles, o criminoso que desafiou e continua desafiando a lei, ameaçando derrubar torres de transmissão de energia elétrica, o tal Roquevam Silva, mais uma estrela (ops!) que surge no universo daqueles que tudo podem.

Tanto podem que, quando o normal seria serem indiciados pelos crimes que cometeram, além de não haver indiciamento nenhum, ainda serão recebidos por seu líder, o presidente da república.

(Eu não disse que o melhor negócio hoje é ser especialista em invasões? Você já escolheu o que irá invadir?)

Todas essas "ações" integram um tal de Dia Nacional de Luta Unificada por Nenhum Direito a Menos. É, ele existe. No país dos absurdos, este é mais um deles. No país da bolsa-esmola e da bolsa-esmola-por-passar-de-ano-na-escola, os grupos que vivem à custa do dinheiro dos nossos impostos criou mais essa essa monstruosidade: "nenhum direito a menos".


Proponho, então, que seja instituído, para eles (para nós, já existe desde o nascimento), o DIA DE CUMPRIR OS DEVERES COMO TODOS OS CIDADÃOS, ou seja, trabalhar, pagar impostos e denunciar os crimes de que tenham conhecimento. Neste dia, os desocupados e criminosos iriam sair às ruas?

Sobre o dia nacional de luta unificada por nenhum direito a menos (ai, ai) leia aqui.

17 comentários:

girassol disse...

Nesse seu país, neste meu país, enfim... Os políticos, os sindicalistas que é outra maneira de ser político, e outros que tais... Vivem à custa de quem trabalha, paga impostos e tem que se desenrascar em defesa dos seus direitos.

Bj

Ricardo Rayol disse...

Minha querida Saramar, chutou canelas e o saco de muita gente. O movimento sindical, pelo menos o meu, não serve pra bosta nenhuma, só para mamar um dia do meu suado trabalho. E sou absolutamente partidário de sua idéia, que els trabalhem, paguem impostos e lutem para que os bandidos vão para a cadeia.

Cejunior disse...

Desde criança (e isso já tem teeeeeemmmpo!) que já ouvia meu pai reclamar do "sindicalismo" que o Getúlio tinha inventado.
O nosso problema é que agora essa turma está no poder. E vai ser difícil mudar esse quadro.
Todo mundo concorda que as leis trabalhistas são ultrapassadas e filhas de duas ditaduras: a facista e a getulista. Mas ninquém quer perder a "boquinha"!
Um beijo e uma boa semana.

Stella disse...

querida Sara, essas pessoas travestidas de sindicalistas são um bando de arruaceiros sustentados com o dinheiro do pobre trabalhador que nada recebe em troca pelo pagamento descontado em folha

cilene disse...

Eu diria que o dia nacional da maladragem, da falta do que fazer..como diz meu pai " falta enchada para esse bando de vagabundo..hoje vou citar vc, espero nao ter problemas?..beijos

Biby Cletus disse...

Cool blog, i just randomly surfed in, but it sure was worth my time, will be back

Deep Regards from the other side of the Moon

Biby Cletus

alexandre,the great disse...

Saramar.
Excelente e esclarecedor post.
Meu comentário é redundante, pois já o fiz em outros artigos seus:
a GUILHOTINA é a única solução para estes traidores do Brasil !

Um beijo,


Alexandre, The Great

DO disse...

Se eu for falar tudo que penso sobre sindicatos e quetais,SARAMAR,vão me tirar do ar...
Beijos!!

ROÇA COISA É OUTRA LIMPA disse...

Vejo sindicado como algo muito parecido com religião.Como as igrejas que lhe cobram , mas não devolve nada em troca, são piores que qualquer tipo de governo portanto.

CAntonio disse...

Saramar,

Não conheço, não sei de alguém que conheça e talvez jamais existirá um sindicalista que seja:coerente,não estúpido e que não "leve" algum, por baixo dos "panos". Caso alguém conheça avisem-me por favor, prometo reunir assinaturas para a a beatificação do dito cujo.

SDS.

Marcos disse...

Mais uma vez nossos posts se complementam.

Mário disse...

Eu nunca acreditei em sindicalismo. Considero um absurdo essa gente que vive às custas de subvenções governamentais e do suor do rosto alheio. Olha bem para quem está no poder hoje. Como que um individuo que n~çao estudou, não leu e nem trabalhou poderia fazer algo de útil por uma nação? Só daria nisso mesmo, uma palhaçada.

Lord Broken Pottery disse...

Saramar,
E o pior é que pagamos impostos para sustentar toda essa cambada. Até o dia vinte e seis passado, trabalhamos de graça, tudo foi para eles. Estamos no terceiro dia em que vemos a cor do nosso dinheiro. Quase cinco meses trabalhando para sustentar a farra deles. Somos um povo muito generoso.
Beijo

Keikas disse...

oi querida,
passando pra dar bom dia e dizer que estou bem feliz de ter pago todos meus impostos e que apartir desta semana tudo que eu ganha terá tudotudo meu ....rsrsrsrs....
bjka

Keikas disse...

oi querida,
passando pra dar bom dia e dizer que estou bem feliz de ter pago todos meus impostos e que apartir desta semana tudo que eu ganha será tudo, tudo meu ....rsrsrsrs....
bjka

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Esse sindicalismoi pelego que existe no Brasil foi criado por Vargas, é verdade, mas é fruto da tendência de cartorização que existe em tudo no Brasil.

Pergunto:

Por que 99% dos sindicatos vivem do imposto sindical obrigatório?

Por que SENAI/SESI/SESC/FIEP/FIESP e federações de trabalhadores recebem verbas de "terceiros" pagas pelos contribuintes da previdência social?

Enfim, o Estado brasileiro sempre financiou essa gente com os impostos dos trouxas, ou seja, nós!

Se quisermos acabar com esse peleguismo é simples: basta ninguém mais recolher contribuição sindical, os sindicatos que vivam de mensalidades de associados... o problema é que a "justiça" brasileira vai dizer que patrão que não recolhe imposto sindical pratica locaute e impor um monte de regras, porque essa "justiça" também protege os pelegos, como faz com todo mundo que se farta ilegalmente de dinheiro público!

o alquimista disse...

Passei para deixar-te um doce beijo...