RÉQUIEM

Nem venha me falar que hoje é sábado, que o sol está lindo e que tudo vai mudar para melhor. Hoje não. Amanhã, pode ser que eu volte a ter esperança.

O Fábio tem razão: merecemos muito viver neste país, merecemos ser governados por um bando de incompetentes arrivistas e carreiristas (aqueles que vivem correndo da justiça). Merecemos ficar relaxados, gozando, deitados sobre nossas esperanças de que, um dia, o Brasil alce vôos deste chão, rumo ao desenvolvimento, à seriedade e à prosperidade.

Merecemos tudo de ruim que estamos sofrendo sob a batuta de maestros que regem nossos destinos como se o povo existisse para seu gáudio indecente. Na verdade, estão certos: somos seus vassalos, quase escravos. E eles riem, debocham, brincam com nossas servis lamentações. Somos o tapete em que pisam.

Merecemos Lula da Silva e sua família, Renan Calheiros e o prostituído (perdão) ninho peemedebista que o gerou e que o nutre. Merecemos a casa de horrores, templo ofídico e voraz que nos rouba, não só os impostos, mas nossa dignidade.

Merecemos Maluf, Clodovil, Ideli, Palocci, et caterva.

Merecemos o espetáculo vazio das prisões em massa, cujo brilho falso ofusca a realidade e deslumbra os "pocotós", como diz o Junior. Merecemos a (in) justiça porca, falsa, cujos olhos vivem abertos para não perder de vista os bandidos abonados e seus laços perigosos.

Merecemos a violência, o caos aéreo, a saúde "quase perfeita", as balas perdidas, encontradas em cabeças e medulas infantis.

Inferno? Que bobagem. Isso tiramos de letra. Os demônios que se cuidem porque pirateamos seu inferno e o resultado é melhor que o original.

Que me perdoem os amigos, mas este é um desabafo muito pessoal porque estou de luto, hoje, com o fim do Movimento Evolução.

Nós o imaginamos como um instrumento aglutinador das insatisfações com a política brasileira para que juntos, fosse possível falar mais alto e, quem sabe, sermos ouvidos.

Que ilusão! O coitado morreu de inanição. Morreu morto de fome por falta de alimento.

Não vou explicar tudo porque a Clau e o Ricardo já explicaram e David já convidou para as exéquias. Eu sou muito fraca. Certos desaparecimentos me fazem chorar e perder a voz. Este é um deles.

8 comentários:

Mário disse...

Pena, Saramar! Lamento a frustração que você sofreu a ter que confessar que somos merecedores de tudo o que não presta. Sabe, já andei muito tempo pensando nisso que ocorre todos os dias e se repetiu com o Movimento Evolução que eu mesmo nem cheguei a conhecer. Sempre a mesma repetida realidade: no final, ninguém se entende e uns querem sobressairem-se aos outros, levando consigo os louros da vitória. Querem ser donos do coletivo. Foi o que entendi do post do Rayol. Até brinquei lá através do meu comentário. Participei de um grupo real e não virtual. Objetivo: ajusar aos necessitados. Vínculo: religioso sem dogmas. Uma no depois, uns eram os donos do negócio, outros choravam pelos cantos e um monte de oportunista filava a bóia. Acabou também e fui embora antes de acabar. Porque será que até nas melhores virtudes o homem tende às mazelas? Fez a sua parte? Fica em paz. A vida me ensinou que o importante é sabermos que fizemos a nossa parte. Abraços, Mário.

ROÇA COISA É OUTRA LIMPA disse...

Saramar, voce fez com que a coisa realmente parecesse um velório.
Acredito que esteja realmente sentindo muito , fostes a maior lutadora do movimento.É o que vale.Você tentou, lutou...
Continuaremos fazendo o que nos cabe.Pois não?
Grande abraço.

Giulia disse...

Saramar, também fiquei triste. Torci muito pelo Evolução, mas também pouco pude contribuir, a não ser através de uns míseros comentários. No fundo eu sabia que não ia durar muito tempo, mas esperava que dessa vez... É que já participei de N movimentos, seja presenciais seja virtuais. E todos eles refletiam a realidade do país: uma população que não consegue encontrar um mínimo denominador comum. Cada um preza muito "sua própria opinião", na maioria das vezes muito mal fundamentada, e está sempre com um pé atrás com respeito ao próximo, ao vizinho, a quem quer que seja. E com essa classe política podre, com essa mídia vendida, é pra desconfiar de tudo mesmo...
Nós blogueiros mais antigos só não perdemos as esperanças porque temos mais fôlego do que a média da população. O que é que a gente gostaria? (Falo por mim, mas muitos também me disseram isso.) Que nossos blogs se enchessem de comentários, mesmo de opinião contrária, mas com conteúdo e raciocínio lógico. Isso já seria um sinal de que algo está mudando no País, já que a blogosfera também reflete a realidade. Mas, por enquanto, a preferência dos internautas está indo para big brothers & demais "reality shows". A realidade que é bom mesmo fica sempre para trás...
Não faz mal. "Um dia", unidos venceremos, nem que seja marcando uma bela macarronada para nos encontrar pessoalmente e afogar nossas mágoas, rsrs.

junior disse...

Pois é, pena mesmo, mas nasceu fadado à morrer.
Um beijo, bom domingo e ânimo pra ti.

Ricardo Rayol disse...

Belissimo requiem.

Ao Mário só posso dizer que não me surpreende o que ele realtou, a natureza humana é falha e quando se junta muita gente, na vida real, é uma zona.

Glênio Gangorra disse...

Como militante esquerdista engajado comemoro, em nome de todos os jegues vermelhos e dos guerreiros da liberdade social nacional-democrata bolivariana, o encerramento de mais um blog imperialista. Um ajuntamento de liberticidas reacionários com o intuito de prevaricar e deturpar o grande trabalho que nosso amado Lula, nosso amado Hugo Chávez, o absoluto Fidel, o impagável Evo e tantos outros representantes do real desenvolvimento econômico mundial.

Saudamos a morte tardia. Viva a revolução bolivariana.

Pênio Moraes disse...

Reuno-me ao amigo Gangorra nesse momento de júbilo para a Revolução Bolivariana, estamos caminhando de vento em poupa ao som da queda daqueles que tentam de todas as maneiras evitar o inevitável. A conciência vermelha tem solapado abundante número de mentes para servir nossa causa, nossos líderes nunca estiveram tão felizaes.
Uma vez que sou um adversário justo, transmito-lhe meus sentimentos pela perda e aproveito para convidá-la a engrossar as fileiras daqueles que marcham em direção as torres petrolíferas flamejantes de nossa revolução.

Passar bem.

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Saramar,

Eu sinto que o movimento não tenha dado certo. Eu mesmo não me dispus a ajudar porque mal e porcamente dou conta do meu blog.

Me sinto, em partem culpado.

De qualquer modo, é bom olhar o lado positivo: seu blog, o David, o Rayol e os demais participantes continuam na ativa em suas respectivas "casas", divulgando princípios, isso é importante e com ou sem ME, continuará, não é?

Da minha parte, as vezes fico imaginando mesmo que merecemos tudo isso, deve ser algum castigo divino pelos excessos carnavalescos em dias santos e coisa e tal... o único jeito nisso tudo, é ficar com a consciência tranquila e fazer sua parte para não sucumbir. Você e os demais membros do ME sempre fizeram e eu, dentro de minhas limitações, também.

Réquiem, mas ainda há muitos vivos a exaltar!