DUAS DEMONSTRAÇÕES DE INVEJA

A MINHA

"Vou reabilitar o trabalho
Nicolas Sarkozy, presidente da França

Derrotamos a frivolidade e a hipocrisia dos intelectuais progressistas. O pensamento único é daquele que sabe tudo e que condena a política enquanto a mesma é praticada. Não vamos permitir a mercantilização de um mundo onde não há lugar para a cultura: *desde 1968 não se podia falar da moral. Haviam-nos imposto o relativismo. A idéia de que tudo é igual, o verdadeiro e o falso, o belo e o feio, que o aluno vale tanto como o mestre, que não se podia dar notas para não traumatizar o mau estudante. *

Fizeram-nos crer que a vítima conta menos que o delinqüente. Que a autoridade estava morta, que as boas maneiras haviam terminado. Que não havia nada sagrado, nada admirável. Era o slogan de maio de 68 nas paredes de Sorbone: 'Viver sem obrigações e gozar sem trabalhar'.

Quiseram terminar com a escola de excelência e do civismo. Assassinaram os escrúpulos e a ética. Uma esquerda hipócrita que permitia indenizações milionárias aos grandes executivos e o triunfo do predador sobre o empreendedor.

Esta esquerda está na política, nos meios de comunicação, na economia. Ela tomou o gosto do poder. A crise da cultura do trabalho é uma crise moral. Vou reabilitar o trabalho.

Deixaram sem poder as forças da ordem e criaram uma frase: 'abriu-se uma fossa entre a polícia e a juventude'. Os vândalos são bons e a polícia é má. Como se a sociedade fosse sempre culpada e o delinqüente, inocente. Defendem os serviços públicos, mas jamais usam o transporte coletivo. Amam tanto a escola pública, mas seus filhos estudam em colégios privados. Dizem adorar a periferia e jamais vivem nela.

Assinam petições quando se expulsa um invasor de moradia, mas não aceitam que o mesmo se instale em sua casa. *Essa esquerda que desde maio de 1968 renunciou o mérito e o esforço, que atiça o ódio contra a família, contra a sociedade e contra a República*.

Isto não pode ser perpetuado num país como a França e por isso estou aqui. Não podemos inventar impostos para estimular aquele que cobra do Estado sem trabalhar.

Quero criar uma cidadania de deveres. "Primeiro os deveres, logo após os direitos".
---------------------------------------- -------------------------------
O autor

O texto acima é do discurso de posse do presidente francês Nicolas Sarkozy, dando um recado aos que se acostumaram a viver como proxenetas de um discurso esquerdista e que sempre alimentou aqueles que não sabem pensar por conta própria. "

Obrigada Ernesto.


SOBRE A DO PAULO HENRIQUE AMORIM



Morta de fome, uma raposa foi até um vinhedo sabendo que ia encontrar muita uva. A safra tinha sido excelente. Ao ver a parreira carregada de cachos enormes, a raposa lambeu os beiços. Só que sua alegria durou pouco: por mais que tentasse, não conseguia alcançar as uvas. Por fim, cansada de tantos esforços inúteis, resolveu ir embora, dizendo:
- Por mim, quem quiser essas uvas pode levar. Estão verdes, estão azedas, não me servem. Se alguém me desse essas uvas eu não comeria.
Moral: Desprezar o que não se consegue conquistar é fácil.

5 comentários:

Marcos disse...

O que Sarkozy fala que é proibido na França desdde 68, no Brasil é proibido desde 85, com o fim da ditadura. Ou seja, estamos 21 anos atrás deles, o que siginifica que em 2032 alguém cairá na real no lado de cá do Atlântico.

CAntonio disse...

2032??? Marcos é um otimista. Da forma como a quadrilha se estrutura aqui em Bananolândia, isso vai demorar pelo menos o triplo.

SDS.

Flávio disse...

Saramar, aliemos esse discurso do presidente francês à "Oração aos moços", de Rui Barbosa... e talvez tenhamos um remédio para o Brasil. Masa, infelizmente, a nossa esquerda anda cada vez mais festiva... e agora com o dinheiro público. :)

alexandre, the great disse...

Nicolas Sarkozy - o governante do século XXI.
Fidel, Chavez, Lula etc. - governantes do século XIX.
Sintetizando:
o primeiro tem compromisso com o futuro, os demais com o atraso e o passado.


Alexandre, The Great

Ricardo Rayol disse...

Perfeito