SOBRE COTAS


Os sábios e os mestres, sob suas togas púrpuras,
de agora em diante irão deslanchar nova pugna
nascida da insensatez, em que se baterão
meninos iludidos, que antes, eram irmãos.
Quem, debaixo da púrpura toga, saberá
qual o tom do vermelho do sangue e do coração
desses jovens arrebatados na perigosa peleja
que desdiz o escrito na letra da Constituição?
Naquele papel se diz que todos são iguais,
mas parece que agora, isso não vale mais.
Um outro vermelho, sem sangue e sem amor,
corta o povo no meio, querendo fazer da cor,
o instrumento de quem, como frio ditador,
separa o que era uno, desfaz toda a igualdade
do vermelho, do branco, do preto, misturados
na grande nação, construída com todos eles.
Do sangue de cada um, de todos, um pedaço,
vai restar a decisão de alguns cegos togados.
Como decidirão? Vão pôr os meninos pelados
diante dos antropólogos de imenso galardão?
Isso me lembra o soldado que, em certa ocasião,
usando a arma que tinha, de engano, de ilusão,
passeava sua importância, com um bastão nas mãos,
e riscava as coxas das moças derrubadas no chão.
Irá nosso jovem filho, nosso fruto, nosso sangue
submeter-se aos olhos da vermelha falange
composta de doutores, entendidos em animais?
Quem mais sabe de raças, de pedigree e coleira?
Meu filho será avaliado por um veterinário?
E a nota, a redação? E os conhecimentos gerais?
A excelência em arte, ou nos mistérios do cosmo?
A ciência, a genética e a matemática? Para quê?
Quem se preocupa com isso é chamado de otário,
Nossos filhos são bichos, basta escolher a raça.
E quem a escolherá? Serei eu, ou você, ou Deus,
esse desentendido que diz que todos são iguais?
Quem escolherá já se sabe, até nos jornais já se vê.
Serão aqueles que só enxergam uma cor,
a cor vermelha do medo, a cor do falso profeta
que, para manter sobre os ombros, a vergonhosa toga,
fecha os olhos de mestre e apaga o que nos integra,
e transforma em bicho, o branco, o preto, o vermelho
e assim nos transformando, nossa humanidade nega.

Este texto estropiado, dedico ao Moita. Foi, porém, inspirado pelo Thomaz e pelo Zé Paulo que trataram do assunto do jeito competente de sempre.

A respeito de cotas, sugiro a leitura da curta e certeira análise do Demétrio Magnoli .

9 comentários:

david santos disse...

Hoje estou a passar pelo Brasil, não para fazer comentários, mas para deixa um alerta:
Se amais vossos filhos, pais de todo mundo, não os percam de vista; nem por um segundo!

Mais uma criança assassinada.

Costajr disse...

O texto está muito bom! Parabéns! Hoje, conversando com um professor de Filosofia, de esquerda, branco e casado com uma negra, defendeu as cotas com os mesmo argumentos frouxos que conhecemos. Ele defende as cotas não por convicção, mas por disciplina partidária.

Chegou a dizer que nesse país, pobre é tratado como negro. Sugeri a ele inverter os termos da equação. Nesse país, negro, branco, amerelo, mestiço, sendo pobres, são tratados iguais.

um abraço.

David disse...

Muito bom. Estamos inspirados e menos raivosos hoje.

Jorge Sobesta disse...

Saramar,

do jeito que o povo anda estão cagando para o conhecimento. O lance é dar uma de Caetano e declarar "Eusou neguinha!", hehe.

Grande abraço.

PS: pardo foi demais! Um eufemismo para negro que garante vagas! Tenho dois tios que foram registrados com essa cor, mas eles estão mais para negões, sem preconceito, pois eles adoram tirar sarro disso.

shirlei horta disse...

O mais ridículo é saber para onde estamos caminhando - afinal, tudo que é provisório torna-se eterno no Brasil.

Patrick Gleber disse...

Que beleza!

Muito bom Saramar!

ROÇA COISA É OUTRA LIMPA disse...

Neste pa�s somos iguais s� depois da �ltima p� de terra sobre o caixote.

Magui disse...

Espero que os historiadores não se esqueçam de fazer esta análise quando forem analisar o período.Um governo que pretensamente quer promover a igualdade conseguiu levantar as misérais da alma e fazer delas o principal.Se eu te contar a discriminação que sofri por pessoas do Movimento Negro do ES, mt forte por aqui,no governo do PT por ter cabelos finos e lisos, tipicamente europeus, não vai acreditar!!!!!

Patrick Gleber disse...

Saramar,

Convoco-o no meu blog a participar de um meme. É simples e não dá trabalho, segue as regras:

1- Pegue um livro que vc estiver lendo.

2-Abra na pág. 161

3-reproduza no seu blog a 5a. frase completa desta página para comentários.

4- Repasse a incumbênciapara mais 5 blogs.