A FARSA

Imagem daqui

Se digo “é isso”, não sei
se é isso mesmo que é isso,
pois pode ser – bem o sei,
só parecido com isso.
Mas mesmo não sendo isso,
ou seja, é isso e eu sei,
digo sempre que não sei
(nem sei por que digo isso...)
e por que isso? ... já sei.
Aliás, não sei. É isso.
Antoniel Campos

O grande poeta que me perdoe por usar seus versos para expressar minha indignação. Aliás, indignação, como tantas outras, é palavra gasta, é palavra pouca, que nem passa perto do que sinto hoje, diante da farsa encenada pelos senadores da república em relação à CPMF.

Falar em senadores ou república mais parece anedota, motivo das gargalhadas que estes indivíduos estão dando (além de outras coisas que dão, sem pudor) na cara dos palhaços que ainda acreditavam que alguma moralidade pode existir entre os políticos deste pobre país.

Em post anterior, perguntei se somos palhaços. Que dúvida imbecil. O senador Arthur Virgílio deve estar se desmanchando de rir dos idiotas que, acreditando em sua retórica aparentemente insubmissa, até o elogiaram como um ensaio de oposição. Muitos, ligando seu nome ao de Artur da Bretanha, o julgaram o salvador. Que piada!

Tudo enganação, mentira, farsa, espetáculo barato de compra e venda de consciências, palco de quinta categoria em feira de miseráveis. E ainda falaram de Pedro Simon e Jefferson Perez. Estes, pelo menos, mostraram a desavergonhada face e confirmaram a traição perpetrada contra aqueles que os elegeram. Foram menos imundos que os tais tucanos, cuja atuação enganou direitinho aos otários cidadãos. Mesmo assim, são todos Gollum DO OLHO DO MAL.

O PSDB, a se confirmar a negociata com o lulo-petismo para criar novo tributo, substituindo a CPMF, coloca-se na categoria do lixo político, onde proliferam os ratos, os traidores e os covardes.

Ainda bem que essa espécie nunca me enganou.

8 comentários:

shirlei horta disse...

É verdade, foi uma vitória escandalosamente política. E ninguém duvida de que algo será "negociado" para substituir a teta que secou. Mas vou dar um voto de confiança. Estou esperando para ver se alguém descobre, enfim, que não há oposição e que alguém precisa assumi-la!

Jorge Sobesta disse...

Saramar,

A única coisa que me fez feliz nessa estória é ver o sapo espumando de raiva num primeiro momento, pois a gente bem sabe que 40 bilhões, mesmo de reais, é muita grana pra bandido largar fácil.
Céus no que estou me transformando? Estou sentindo prazer em ver o sapo sofrendo de raiva, coisa que pode matá-lo do coração? Uai, claro que estou, hehe.

Grande abraço.

alexandre, the great disse...

Calma, Saramar... não menospreze a conquista. O segredo da vitória é a eterna vigilância. Continuemos a pressioná-los pois, mesmo que venha algo para substituir a cpmf, há que se reduzir a carga tributária como contrapartida.
O que não dava era como estava: mantendo a atual tributação e a cpmf juntas.

Calma...


Alexandre, The Great

tita coelho disse...

Foi vitória política sim Sara....e agora o PSBD surge como oposição coisa que só o DEM fazia de uma forma direita(mais ou menos né?) ... dizem alguns que já se estuda um novo imposto para substituir a CPMF....é mole?
beijos meus

Vó Vera disse...

É uma pena que a oposição já está envergonhada da vitória...ainda bem que o ano está terminando enão dá tempo de eles voltarem atrás ainda em 2007...não é fácil ser brasileiro "honesto"..

apoiofraterno disse...

Saramar, ganhamos por enquanto. Perderemos bem mais um pouco depois. O caos que se instalou necessita de recursos e o governo tratará de obte-lo para manter a máquina funcionando e bem lubrificada. Em breve tempo, pagaremos outro imposto com nome diverso ou aliquotas maiores nos atuais. Apesar disso, ainda acho que valeu a pena pela cara do Lula que levou rasteira. Bom fim de semana.

João Bosco disse...

Saramar

A vitória foi muito importante e, o inimigo não era a CPMF ou qualquer outro imposto, mas sim a forma como este imposto é "imposto" à nação, a forma truculenta, sem discussões ou diálogos.
Esta vitória permite e provoca, a discussão sobre toda a carga tributária, foi apenas uma batalha, a guerra continua. É necessário agora negociar sim, coisa que o atual governo não sabe ou não quer fazer.
Vale a nossa mobilização pelo bem maior.

Ronald disse...

Com razão, confiar no que fazem os políticos é coisa para irracionais. Lamentável...

Uma ótima semana à você

Bjs