LULA NOS BRAÇOS DO POLVO

um texto de Jairo O. Ramos


Cansado de rever as negociatas, malas e falas da política, que invadem a televisão, os jornais e a internet, resolvi falar do nosso velho mundo animal. O estranhamento das relações humanas, não raramente, me remete às areias da Costa do Esqueleto e do Kalahari, aos pedregulhos de Atacama, às folhagens de Bornéu e Sumatra, às águas perdidas do delta interior do rio Okawango e às profundezas dos mares, onde estão os bichos.

Não poderia deixar de observar que, sendo os homens também animais, muitas vezes a realidade dos documentários e das enciclopédias se confunde com o nosso mundo de bestas pensantes. Assim, considerando que existem mais coisas entre o céu e a terra do que imagina nossa vã biologia, passo a comparar dois intrigantes seres que povoam nossos mares: o polvo e a lula.

A Lula, como o polvo, é um molusco cefalópode - daqueles bichos estranhos que têm os pés na cabeça. Embora pertençam a espécies diferentes, guardam entre si algumas semelhanças visíveis: fazem corpo mole e habitam o mesmo ambiente Marinho, como retratam fielmente as novelas da rede Globo. Esse fato indica uma origem ancestral comum, ainda que remota. Não existem provas conclusivas, mas alguns estudiosos desconfiam que a lula veio do polvo e evoluiu para uma espécie diferente, esquecendo-se rapidamente das suas origens.

Com a intenção de facilitar o entendimento da matéria, especialistas catalogaram algumas das características físicas e sociais da lula:

1. tem cabeça mole, mas não é tão burra quanto parece;
2. quando acuada expele uma tintura preta, semelhante a uma "cortina de fumaça", que confunde seus inimigos, fugindo com grande agilidade das situações de perigo;
3. tem a capacidade ímpar de meter-se em lugares muito apertados, saindo sempre incólume;
4. possui a habilidade extraordinária de alterar suas formas rapidamente, mimetizando-se com o ambiente em que se encontra e evitando a ação dos predadores;
5. tem a capacidade de meter os pés pelas mãos;
6. não sabe nadar, mas rasteja muito bem, rente ao lodo;
7. ambiciona dominar o ambiente em que vive, mas não consegue estender seus tentáculos além da própria toca.

A espécie, ocorrente no Brasil, tem parentes próximos nas Américas. Acredita-se que seja uma subespécie de animais encontrados nos mares de Cuba e da Venezuela. Além disso, descobriu-se, recentemente, um outro animal vindo do polvo, com semelhante aparência, ambição e estupidez, vivendo em lagos do altiplano boliviano.

Apesar das diferenças existentes entre a lula e o polvo, verificou-se que, a cada período de quatro anos, nos meses que antecedem outubro, a lula tende a relembrar seu passado remoto, lançando feromônios nas águas turvas e cortejando o polvo para um acasalamento híbrido e estéril.

8 comentários:

tita coelho disse...

Salve, salve Saramar!!!
adorei esse texto! É a imagem do Presidente!rsrsrsrs
beijos

DO disse...

Adorei isto,SARAMAR.
Muito bom,e verdadeiro,claro e sem duvida,heheheh
Beijos!!

http://www.ramsessecxxi.blogger.com.br/

Ricardo Rayol disse...

perfeita comparação, me lembrou certo alguém de nove dedos.

Ronald disse...

É o cara escrito, mais conhecido como nove dedos, como diz o RR.

Anônimo disse...

Boa Tarde
Saramar,
excelente parodia, como diz o nordestino:
"Homi é o cabra, cagado e cuspido"!
Pena, que o polvo (de onde o molusco evoluiu), continuará dormindo explendidamente, dizendo amém p/, os seres oriundos dele, continuem esta relação amebiastica e danosa.
Muito Axé e um Xeiro
Freire

Keikas disse...

passando... deixando uma beijoKa e desejos de um super feriadão...

Keikas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
barb michelen disse...

Hello I just entered before I have to leave to the airport, it's been very nice to meet you, if you want here is the site I told you about where I type some stuff and make good money (I work from home): here it is