AQUELES QUE VÃO EM FRENTE E NÓS...


A propósito do post de quinta feira (quase desabafo), julguei apropriado publicar o comentário do Fábio Max, pela excelência do texto (o que não é novidade) e por refletir o que também penso a respeito do nosso pobre país, entregue a aventureiros imbecis, os dois lados da nossa moeda.

"Comentei ontem quando completou-se 34 anos da Revolução dos Cravos em Portugal:

Um país pequeno, pobre, sem recursos naturais, em 34 anos virou uma democracia sólida, deixou o terceiro mundo e hoje encontra-se em 26o. lugar no ranking de qualidade de vida, faz parte da zona do Euro e organiza eventos internacionais como a Eurocopa e a Feira Mundial com sucesso irretocável.

E o Brasil?

Desde o nosso episódio de redemocratização, só descemos a ladeira da desesperança.

Não aproveitamos os surtos mundiais de crescimento econômico, porque nosso governo e nossa burocracia não deixam.

Perdemos a posição de 8a. economia mundial, hoje somos a 15a.

Perdemos para um país governado por um coronel ladrão, o status de país líder da América Latina.

Não somos capazes de organizar um evento esportivo marginal, como são os Pan-Americanos, nos quais gastamos mais que Portugal para organizar a Eurocopa (e construir 5 belos estádios).

Não dominuídos em nada nossa histórica desigualdade social.

Vimos o prevalecimento da safadeza, do casuísmo e criamos uma geração de pessoas que nunca viu um parlamento discutir coisas importantes para o país sem o ranço dos interesses meramente personalíssimos.

Aumentamos a carga tributária de 15 para 38% e, desde o episódio de redemocratização, ela sobe TODOS os anos!

Acabamos com o ensino público. Antes ele não era universal, mas de qualidade, hoje, é tido como universal, mas é de baixíssima qualidade. O número de faculdades aumentou exponencialmente, porém, mais de 90% delas são meros caça-níqueis a distribuir diplomas sem a avaliação do mérito.

Vendemos quase todas as grandes empresas nacionais para estrangeiros, porque não conseguimos gerar riqueza interna.

Privatizamos para salvar o Estado, porém, ao mesmo tempo fizemos o maior episódio de corrupção da história do mundo.

Enfim... exemplos, são muitos.

Como eu sempre digo, nós, brasileiros, arrogantes e cínicos que somos, costumamos dizer que os portugueses não são muito inteligentes... mas em verdade, os burros somos nós!"

7 comentários:

alexandre, the great disse...

Saramar.
Este é um comentário de um observador crítico e atento a conjuntura mundial.
Ótima análise!


Alexandre, The Great

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Saramar,

Novamente, obrigado, é uma honra ter um texto meu aqui, em destaque no seu blog.

E Alexander, the great,

Obrigado também!

Lord Broken Pottery disse...

Saramar,
Muito lúcida a sua postagem. É de desanimar. Caminhamos alegremente para o fundo do poço. Enquanto isso o Lula recebe o RBD.
Beijão

Cejunior disse...

Como sempre o Fábio está muito preciso e claro em seus comentários.
E é com muita tristeza que tenho que concordar com tudo o que ele colocou ali.
Um beijo e bom domingo.

Mário disse...

Saramar, o Fábio é inteligentíssimo e muito criterioso ao escolher as palavras. Tem mesmo essa visão global a que muitos aludiram aqui. Comentário primoroso que mereceu o destaque que você lhe deu. Parabéns aos dois!

Rynaldo Papoy disse...

Sem problemas com o post lá, mocinha, vou apagar. Beijão!

Ricardo Rayol disse...

Ele botou pra quebrar