O SONHO E A PIZZA

Meus amigos avisaram. Quase todos falaram em pizza.

Como sempre tenho esperança, eu sonho. Aliás, havia dito ao Jorge que só o sonho nos resta. Então, o Fábio veio e explicou direitinho porque não adianta sonhar.

Confesso a vocês que ando saudosista demais.

Sinto saudade do tempo em que havia políticos que não se vendiam e chegavam a ser temerários em sua defesa da legalidade e da ética.

Sinto saudade do tempo em que bandido era bandido e autoridade era autoridade.

Sinto saudade da época em que magistrados eram como oráculos e a justiça, sua deusa.

Sinto saudade dos homens honestos, que tinha orgulho de sê-lo.

Sinto saudade dos patriotas, na mais profunda acepção desse conceito.

Não, não me venham dizer que sou ingênua e que indivíduos dessa estirpe não existiram, porque sei que sempre estiveram aqui e ali em nossa história. Talvez poucos, talvez um apenas em sua época, mas antes, podiam ser encontrados.

Hoje, o que temos? O que vemos?

A elite dirigente é composta de gente da mais traiçoeira face que algum cidadão já mirou.

Gente traiçoeira porque, quando se pensa nos objetivos de cada poder republicano, descritos na Constituição Brasileira, torna-se evidente que foram transformados em cinza por essa elite, essa gente, que age tal como os totalitários, os nazistas, os fascistas, os vândalos, os obscurantistas fizeram ao longo da história.

Queimaram a Constituição e a queimam todos os dias, ao legislar em causa própria, ao impedir a punição dos corruptos e dos criminosos, ao usar o dinheiro público em proveito próprio, ao transformar o país em feudo e seu povo em vítima dos próprios dirigentes.

Infelizes somos todos.

Infelizes os magistrados que se ajoelham diante dos poderosos e, assim, roubam do cidadão a justiça.

Infelizes os políticos honestos que se calam, amedrontados diante dos poderosos e, assim, nos mantém reféns da ilegalidade.

Infelizes os sabedores de toda a dissimulação que se calam por arrogância e, assim, ajudam a conduzir o país para o retrocesso social e político.

Infelizes aqueles que ainda sonham, como eu sonho, com um país de verdade e vivem um constante pesadelo.

10 comentários:

junior disse...

Eu quero ser Elite!!!
Eu quero ser Elite!!!
Eu quero ser Elite!!!
Eu quero ser Elite!!!

Saramar, cada vez que você culpa a elite pelas mazelas eu sinto um pouquinho de "desejo" em seu coração. Cada vez que você culpa a classe política pelas mazelas eu me sinto compelido a repetir que ela é espelho do povo, saída do povo, escolhida por ele, adorada por ele, mantida por ele, merecida por ele.
Um beijo

Fábio Max disse...

Saramar,

Comentei ontem quando completou-se 34 anos da Revolução dos Cravos em Portugal:

Um país pequeno, pobre, sem recursos naturais, em 34 anos virou uma democracia sólida, deixou o terceiro mundo e hoje encontra-se em 26o. lugar no ranking de qualidade de vida, faz parte da zona do Euro e organiza eventos internacionais como a Eurocopa e a Feira Mundial com sucesso irretocável.

E o Brasil?

Desde o nosso episódio de redemocratização, só descemos a ladeira da desesperança.

Não aproveitamos os surtos mundiais de crescimento econômico, porque nosso governo e nossa burocracia não deixam.

Perdemos a posição de 8a. economia mundial, hoje somos a 15a.

Perdemos para um país governado por um coronel ladrão, o status de país líder da América Latina.

Não somos capazes de organizar um evento esportivo marginal, como são os Pan-Americanos, nos quais gastamos mais que Portugal para organizar a Eurocopa (e construir 5 belos estádios).

Não dominuídos em nada nossa histórica desigualdade social.

Vimos o prevalecimento da safadeza, do casuísmo e criamos uma geração de pessoas que nunca viu um parlamento discutir coisas importantes para o país sem o ranço dos interesses meramente personalíssimos.

Aumentamos a carga tributária de 15 para 38% e, desde o episódio de redemocratização, ela sobe TODOS os anos!

Acabamos com o ensino público. Antes ele não era universal, mas de qualidade, hoje, é tido como universal, mas é de baixíssima qualidade. O número de faculdades aumentou exponencialmente, porém, mais de 90% delas são meros caça-níqueis a distribuir diplomas sem a avaliação do mérito.

Vendemos quase todas as grandes empresas nacionais para estrangeiros, porque não conseguimos gerar riqueza interna.

Privatizamos para salvar o Estado, porém, ao mesmo tempo fizemos o maior episódio de corrupção da história do mundo.

Enfim... exemplos, são muitos.

Como eu sempre digo, nós, brasileiros, arrogantes e cínicos que somos, costumamos dizer que os portugueses não são muito inteligentes... mas em verdade, os burros somos nós!

alexandre, the great disse...

Saramar.
Este seu saudosismo é a prova irrefutável de que estamos velhos, anacrônicos e obsoletos. A "nova ordem social" é esta: a dos traidores, pulhas e unhantes. Ao invés de nos lamentarmos deveríamos, ao contrário, assistir ao triste espetáculo que nos proporcionam, torcendo apenas para que esta quimera seja autofágica e seja extinta por suas próprias garras.
Como disse Thomas Hobbes: "os bens de prazer do homem são limitados, não estão disponíveis para todos. Logo terão que tomá-los uns dos outros, e pela força, daí surgindo o conflito - a Revolução".

Sinteticamente encontramos em Murphy: "nada está tão ruim que não possa piorar um pouco mais".

Um beijo (sincero),


Alexandre, The Great

CAntonio disse...

Saramar,


..."Ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais"...

Portanto, está na hora de nos atualizarmos. Enfrentamos as AÇÕES que dilapidam a República com palavras bonitas. Enraivecemo-nos com Palavras doces e meigas. Nos indignamos, mas reclamamos com o nosso "fechado círculo" de amizades: as mesmas a trocentos anos.

Tanque de guerra não se enfrenta com estilingue.

SDS.

DO disse...

O que mais me preocupa hoje,SARAMAR ,é saber onde iremos chegar. Qual é a estrada que pegamos? Ela tem volta? Tem atalhos?
Ou o objetivo é mesmo só cada um que olhe o próprio umbigo e vamos que vamos...


Beijão!!!

Cejunior disse...

Não sobra muita coisa para falar...
E cada vez mais os 3 Poderes se unem dentro dessa mediocridade geral que tomou conta do Brasil...
Beijos.

Regina disse...

Leia esse absurdo querida Saramar. Brasil - sil- sil só aqui acontece isso
Corruptos não deveriam ir para cadeia, diz desembargador Regueira

Josie Jeronimo, Agência JB

RIO - O desembardor José Ricardo de Siqueira Regueira disse que acusados de crimes de corrupção não deveriam ser presos. A declaração foi dada durante a coletiva de imprensa que concedeu, na manhã desta quinta-feira, na sede da Justiça Federal do Rio de Janeiro, para esclarecer as acusações feitas pela Polícia Federal na Operação Furacão. O desembargador negou todas as acusações e criticou a atuação da Polícia Federal.


- Prisão é pra gente violenta, pra gente perigosa. Não vejo necessidade de prisão para gente pacífica - disse Regueira, explicando que os crimes de corrupção deveriam ter penas de natureza pecuniária.


Regueira, que afirmou não conhecer nenhum contraventor, citou números da insegurança e disse que se a PF estivesse fazendo a parte dela, o país não teria tantos crimes financeiros. As acusações, segundo o magistrado, fazem perte de uma conspiração da PF e do Ministério Público Federal.


- Quando é que a Polícia Federal fez uma já fez uma favela? Agora, para prender velhinhos é eficiente - disse o desembargador, lembrando que a média de idade dos presos é de 70 anos.

Lord Broken Pottery disse...

Saramar,
Felizes somos nós que ainda podemos sonhar. Não podemos desanimar!
Beijo

Ricardo Rayol disse...

Avisa aí que temos blogagem coletiva. Veja lá em casa. E viva a pizza.

Patacoadas do Cleber disse...

Pôxa Saramar, que texto forte. Eu que tenho um "pouquinho" de vergonha na cara fiquei envergonhado... Realmente da saudades do tempo em que um homem honrava o seu fio do bigode. É sempre bom contar com sua "ira santa". Beijão