OUTRA DA CASA DOS HORRORES



"Podem me prender, podem me bater" como disse o compositor do samba.

Só que não é de música que estou falando.

Quem disse que sou culpada foram os digníssimos deputados Dagoberto Nogueira (PDT-MS) e José Eduardo Cardoso (PT-SP), respectivamente, relator do conselho de ética da casa de horrores e integrante desse mesmo conselho

Claro que ética e câmara são dois conceitos totalmente divergentes. E esta última sempre confirma o que se pensa dela, ou seja, que não existe nada mais abjeto no mundo.

Hoje não foi diferente, com a aprovação do relatório do tal conselho livrando de novos processos de cassação, por falta de decoro parlamentar, os deputados mensaleiros Waldemar Costa Neto (PR-SP), Paulo Rocha (PT-PA) e o envolvido com a máfia das ambulâncias, João Magalhães (PMDB-MG).

A alforria em si não surpreende. Foi assim em praticamente todos os casos, mesmo quando as excelências confessaram, ao vivo e a cores, a sua total falta de escrúpulo e honestidade.

O argumento do conselho é que me deixou mais envergonhada e indignada.

Para as excelências, os mensaleiros não podem ser processados porque "FORAM ABSOLVIDOS PELOS VOTOS DOS ELEITORES".

Permita-me, por favor, um desabafo. Malditos eleitores, imbecis e pobres de espírito que contribuíram para a reeleição dessa escória e, pior, tornaram-se motivo para esses cínicos travestidos de representantes do povo usem um argumento tão desavergonhado para garantir a impunidade de seus iguais.

2 comentários:

Fábio Max Marschner Mayer disse...

É outra musica que eles cantam no Congresso, é uma do Tim Maia!

Vale Tudo
Vale o que vier
Só não vale dançar homem com homem,
nem, mulher com mulher!

alexandre, the great disse...

Saramar.
Uma vez criminoso, sempre criminoso. A impunidade só os fará reincidir. Como não há punição, pelo menos poderemos sacaneá-los e chamá-los de LADRÃO mil vezes. É o que resta.
Beijo,