“AS ZELITES E AS ZESQUERDAS NAS ZAMÉRICAS”

um texto de Alexandre, the Great


Nestes últimos anos a América Latina está tentando dar uma guinada para a esquerda com um discurso meio atrasado, anacrônico e fora do contexto histórico.
Falam dos males da globalização e debatem isso. Os “zesquerdistas” de várias partes do mundo se organizam em Fóruns onde debatem meios de impedir a integração social, cultural e econômica entre os países.
Parece brincadeira! Produzem até relatórios! Alguns até trocam idéias através de e-mail (provavelmente chamado por eles de “carta eletrônica”), sem se tocarem que isso se deve à “maldita” Internet, uma invenção imperialista !

A máxima é o “socialismo ou muerte”, como disse o Chapolin “Carajo” Colorado da Venezuela, que na ânsia de implementar sua “revolucion bolivariana” impediu até a imagem de Papai Noel por acreditar ser um símbolo da cultura norte-americana.
Quanta besteira! Enquanto o Chapolin vai tomando essas atitudes pitorescas e caricatas, o povo distraído parece nem perceber que está sendo subtraído em tenebrosas transações, como diria o “zesquerdista“ Chico Buarque.

Esse sentimento de nacionalismo só não existe nas “zesquerdas” brasileiras quando o assunto é defender os interesses internos. Eles acreditam na tal dívida histórica do Brasil com os vizinhos. São “românticos”. Não resta dúvida, porém, que se fôssemos levar essa idéia ao pé da letra ainda falaríamos tupi-guarani; afinal português é língua do imperialismo lusitano, certo?

A deturpação mental de alguns “revolucionários” tupiniquins chega a tal ponto que se encontra na rede mundial de relacionamentos, Orkut, o seguinte comentário sobre um trágico episódio havido no Rio de Janeiro:

“...está indignado com a "barbárie" do assassinato do João Hélio? Você quer pena de morte, redução da maioridade penal, quer alerta nacional, polícia na rua, exército, força tarefa e o escambau? ha ha ha classe média! Estão colhendo o fruto que a burguesia plantou, que o capitalismo gerou...”.

A declaração deste “botocudo” (by Aluizio) não merece comentário. Como diria um outro amigo: “só não relincha porque tem beiço curto”!

Mas voltemos ao “zesquerdismo” das “Zaméricas”. Quais seriam os horizontes culturais para esses jovens que rejeitam essa “prosperidade burguesa”? Não os que optam por intercâmbios em países desenvolvidos, que vão a busca da evolução do conhecimento e dos muitos avanços conquistados através desse conhecimento. Os países asiáticos são símbolos da importância e da necessidade desse intercâmbio na formação de empresários, intelectuais e líderes. São os países que mais enviaram estudantes para os EUA e Europa nas últimas décadas. Agora já estão se transformando em produtores e exportadores de conhecimento, a maior riqueza da sociedade contemporânea.

Mas e os nossos jovens “zesquerdistas”? Aonde podem fazer intercâmbio cultural? Faltam países socialistas! Mas eles têm que ir! Por isso, para cuidar desses pobres e infelizes “sem-intercâmbio”, vamos preparar um roteiro de viagens para o segmento; para esse “nicho de mercado”.
Mercado sim ! Porque mesmo sendo companheiros, vão ter que pagar.

A Venezuela não vale, é muito próxima e não acrescentaria nada, além do mais, o Chapolin Colorado não permitiria a intromissão de uns rebeldes brasileiros. Poderiam “subverter” a cabeça dos estudantes de lá.

A Bolívia é um bom destino, principalmente para a especialização em ataque biológico. O primeiro módulo será: como disseminar a febre aftosa.
A turma que dizimou o cacau na Bahia tem direito a um desconto.

A Albânia... esquece!

A ex-socialista Rússia é um destino legal, quer dizer: até letal, já que a especialidade é em métodos de contaminar e matar adversários com venenos radioativos. Alô turma que queima pneus e prejudica a camada de ozônio! Usar plutônio contra o prefeito é mais eficiente e não colabora com o aquecimento global.

Tinha a França.
Ah, Paris! Paraíso e berço da revolução e sonho dos “zesquerdistas” chiques. Destino certo de intelectuais socialistas, que adoram tomar um cafezinho em suas cafeterias charmosas enquanto falam bem de Cuba. Pena que acabou, com a eleição de Sarkozy.

Tem Cuba também, e lá teremos várias opções de cursos. Tem o de formação de professores de bóias-frias, onde o “zesquerdista” faz um aperfeiçoamento em corte de cana sem o uso de máquinas. Outra opção é o curso de medicina. Trariam pra cá todos os avanços conquistados lá. Só tem um probleminha: o mesmo sistema de saúde pública de uma ilha daquele tamanho, sendo implantada em um país do tamanho do Brasil aumentaria muito o índice de VDM (*).
Mas esse é o desafio! Para se adequar à cartilha da boa prostituta do Ministério brasileiro do Trabalho (ele existe mesmo), Cuba, que ano após ano vem se despontando como paraíso do turismo sexual, oferece o curso de boas maneiras para a prostituta. O legal para as “zerquerdas” é que lá a figura do cafetão foi estatizada, e diante do sucesso no combate à desigualdade social depois da estatização do cafetão, Cuba disponibiliza seus conhecimentos para os “zesquerdistas” que sonham com uma estatização ampla, geral e irrestrita.

Tem o Irã, também. Mas alguns dirão: “- não é socialista” ; mas como é contra o imperialismo americano, também vale. Mas já aviso: as mulheres vão ter que seguir as regras e usar o xador, o que é fantástico para quem condena essa “mostração” ocidental. Esse destino é indicado para as “zesquerdistas” desprovida do “padrão ocidental de beleza”.

O último destino é a Coréia do Norte, onde a principal atração é o cabelinho estranho do ditador Kim Jong II. Mas lá o forte mesmo é a bem sucedida implantação de um programa de combate à fome, a base de sopa de grama e canibalismo. Lindo, todos comendo todos. Para os “zesquerditas” gordinhos seria bem interessante: um Spa na marra !

É isso aí. “Socialismo ou muerte”!
E viva a integração das “Zaméricas”! E viva a comunhão das “Zesquerdas”!

(*) índice de VDM – Vai Dar Merda

6 comentários:

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Esses esquerdistas tomam todo o cuidado para não cair de 4, pois se isso acontecer, não levantam mais!

Falo isso pedindo perdão aos quadrupedes, que são muito mais inteligentes que esses bostas que acham que a Venezuela e Cuba dão democracias.

Mas o fato é o seguinte:

O Irã pode espernear quanto quiser, no dia em que se meter a besta, Rússia e EUA entram lá e põem aquela gente nos eixos, até porque, o Irã é um país capitalista embora religiosamente fundamentalista.

A Coreia do Norte acabará no dia em que morrer o seu "presidente" (eu devia dizer REI, mas isso fere os sentimentos dos esquerdofrênicos que dizem que ele foi eleito democraticamente para suceder o pai). Com efeito, a CN vai ser reunificada à Coreia do Sul e virar capitalista e, não duvidem muito, em poucos anos terá índices sociais decentes, não a miséria absurda que tem hoje.

A Bolívia nem é um país, não tem relevância nenhuma, não serve para nada. A única coisa boa que veio de lá, foi a notícia da captura do assassino Che Guevara.

O Equador, presidido por um homem formado em Harvard, pode até ensaiar alguma cretinice bolivariana... mas não vai embarcar numa aventura, porque seu presidente não é burro, como Hugo Chaves.

A Venezuela brinca de peitar os EUA, mas é dona de 1000 postos de gasolina nos EUA e vende ao Tio Sam o petróleo mais barato do que o que eventualmente queira fornecer ao Brasil. Chaves pode comprar aviões e submarinos, ainda assim, se metendo à besta, os EUA acabam com ele à unha, basta apenas um porta-aviões nuclear que as forças armadas de Chaves caem sem conseguir colocar um caça nos céus. O fanfarrão vai brincar de incomodar a Holanda por conta de possessões naquela região e eventualmente vai se meter à besta com o Brasil... mas o fato é que em determinado momento, o dinheiro do petróleo não será mais suficiente para Chaves brincar de ditador e o bom e velho capitalismo voltará a ser defendido por lá.

E Cuba? Cuba só espera morrer o FDP Fidel Castro para chamar a colônia de Miami para construir cassinos e hoteis de luxo e virar um enorme bordel, que é sua vocação natural...e capitalista! E isso vai acontecer porque os 40 anos de Fidel não deixaran progresso nenhum, Fidel foi apenas um Batista com ideologia diferente, de resto, foi tão ladrão e irresponsável quanto.

E os esquerdistas nacionais?

Bem, estes vão voltar a não estudar nas universidades, a fazer piquetes de fora FMI com dinheiro dos centros acadêmicos, a escrever livros inintelegíveis e a aguardar mais um espasmo esquerdofrênico da América Latina que, todo mundo sabe, é algo sazonal...

Vera disse...

:D Olá querida. A MERDA já está lá em Brasília, e põe MERDA nisso... rsrs. :) Bjs!

Stella disse...

excelente artigo, mostra o quanto a américa latrina é retrógrada e ignorante

Rodrigo disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Até mais.

Nilson Barcelli disse...

Não gostei muito do texto, apesar de concordar em parte com ele.
A esquerda anda, de facto, meia perdida à procura de um novo referencial.
E não concordei porque procura achincalhar a esquerda, que não tem mais defeitos que a direita ou o centro.
É facílimo, aliás, pegar neste texto e fazer um outro de sentido contrário.
Sou moderado por natureza e gosto de ver posições mais construtivas nas críticas políticas.
Não gostrei muito do texto mas, em compensação, gosto muito de você... principalmente do que escreve.
Boa semana, beijinhos.

Santa disse...

Sara, grande sele~ção de artigos! Roubei esse e está no Opinião, certo? Parabens ao nosso querido Alexandre.

Bjs