A ESPOSA E OS CORDEIROS



Não sei como meu marido caiu nessa... Homem é mesmo muito besta!”

O teor da entrevista de Verônica Calheiros não é surpreendente. Surpreendente seria se ela viesse a público com a alma aberta e a indignação exposta, sangrando. Seria, então, heroína por algum tempo, de todo um país, mostrando que também em suas veias corre algum sangue. Preferiu, porém, ser heroína de homem só, que nem sempre foi seu. Saiu da história para voltar à santidade do lar da qual cuida sozinha. Não se poderia nunca questionar sua postura caso a esposa de Renan não viesse a público para afirmar que seu cônjuge é quase um santo, um ingênuo que "caiu" por ser "besta".

Minha senhora, louvo sua atitude de defender o marido traidor. Porém, digo-lhe: BESTAS somos nós, o povo brasileiro. Idiotas, imbecis, otários que trabalhamos muito e pagamos impostos indecentes para serem trocados pelo gozo (está na moda, não?) de prevaricadores oficiais. BESTAS somos nós, os cidadãos, que assistimos o triste espetáculo da mentira e da chantagem de braços cruzados e boca fechada. BESTAS são aqueles que há anos mantêm seu cônjuge no poder. Estes, aliás, são os maiores imbecis do país porque estão do lado de quem nunca deu uma prova sequer de representar alguém, a não ser ele mesmo e seus interesses, inclusive, de alcova. Não acha, senhora?

E OS CORDEIROS

Vendo as matérias televisivas sobre o apagão aéreo, juro que preferi não ouvir as declarações das autoridades (?) para não morrer de infarto. Entretanto, quase morro assim mesmo de irritação com as entrevistas dos cidadãos que relaxaram e gozaram a semana inteira nos aeroportos brasileiros. Que orgia fenomenal, gente! E os participantes felizes, sorrindo para as câmeras de TV em pleno êxtase orgiástico, depois de horas, dias, noites nas filas. Todos felizes e realizados, cumprindo caladinhos e sorridentes a ordem da ministra, com aquele ar de quem diz: "fazer o quê?". Que cambada de CORDEIROS!!!

14 comentários:

Joana Dalila Santos disse...

O povo brasileiro não. O povo mundial

Ronald disse...

Saramar obrigado pela visita. Veja, e ainda tem gente que defente um tal de boliviarismo, eu mereço...

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Isso é mais um episódio da tentativa velada da defesa do senador, em esconder os graves episódios de suspeita de falsificação de documentos, sonegação fiscal e favorecimento de lobistas, com um caso de natureza íntima.

Cadê o tão ético PSOL agora, quando deveria emendar a denúncia ou pelo menos entrar com outra, para que se apurem as suspeitas de sonegação, vez que o processo original só versa sobre se o senador teria dinheiro para pagar a conta?

alexandre, the great disse...

Saramar.

Nesse mister devemos adotar o axioma do Aluízio: "FOGO NOS BOTOCUDOS! "

Alexandre, The Great

DO disse...

Esquecem os cordeiros que o final deles será SEMPRE servir aos lobos,SARAMAR.

Grande beijo!!

Blogiana disse...

Oi queridona
Terminei o livro em 2 horas. O mais chato de anos e anos de leitura...
Please, se alguém mais precisar de traduções, por favor, me indique. Tradução sem enrolação, é o slogan!
baccio

Stella disse...

É Sara, a esposa chama o marido de besta ingenua e a amante acreditou que ele era separado. Me envergonho que existam mulheres desse tipo.
Quantos aos cordeiros, creio que estejam felizes de irem para o matadouro.

Ricardo Rayol disse...

Ela lá ia largar o osso? deve estar comendo muito bem.

tati sabino disse...

..é cordeiros mesmo..mas nem todos, né?!
bjos..

CAntonio disse...

Saramar,

A senhoura Rainha do Gado estava apenas encenando, lendo o script de toda espOUsa de político safado.

Ela conhece bem o safado que tem. Vive com o nosso dinheiro e acha tudo normal.

Olhando a biografia do Ré-não descobri porque na fazenda dele só nascem bezerros machos (um feito histórico): é genético; ele também só teve filhos homens.

SDS.

Gusta disse...

A senhora madama Verônica foi ativista do PCdoB. Precisa dizer mais alguma coisa??

he he he

Lord Broken Pottery disse...

Saramar,
Difícil encontrar algum resquício de dignidade nessas duas histórias.
Beijo

Cejunior disse...

Mas que país é este ? Lembra do Francenildo ? Pois é...a pergunta ainda vale!

Patacoadas do Cleber disse...

É a indústria do escândalo que nos faz esquecer com uma nova barbaridade aquilo que nos indignou ontem. Ô paizinho sem jeito...