A RUA É DO POVO (?)

Imagem e depoimento daqui

A rua é do povo.

A rua não é como a câmara federal que afirma ser casa do povo, sem explicar que ali, o povo se resume a uma multidão de uns quinhentos e tantos sugando o povo que fingem representar.

Mas não vou escrever sobre parasitas. Por enquanto.

Em toda a história do mundo, o povo vai à rua reclamar daquilo que o incomoda.

Nos países cujos governos governam, manifestação do povo é prática corriqueira, por vezes, monótona, porque basta ao governo cumprir sua obrigação e afastar o incômodo que o povo detectou.

Nos países onde os governos oprimem, manifestação do povo tem a morte por resultado. Lembra-se da "paz celestial" e seus milhares de mortos? Neste caso, o incômodo é o povo , radicalmente afastado (todo esquerdista sabe disso).

Nos países onde não há governo, os criminosos empunham suas bandeiras pessoais e, impunemente, destroem qualquer manifestação do povo. Este é pior que o anterior, porque o governo finge que não sabe, o povo continua sendo incômodo e pode ser afastado a qualquer momento da rua. Que é sua.

Se havia alguma dúvida sobre em qual dessas categorias o Brasil se enquadra, certamente ela foi desfeita hoje, depois dos fatos de Porto Alegre, descritos neste depoimento de quem estava lá:

"Chegamos à FIERGS por volta das 15 h e os baderneiros já estavam no local com suas bandeiras vermelhas em punho. Nosso grupo tinha aproximadamente 15 senhoras e uns 5 homens vestidos com nossas camisetas de Luto Brasil, nossas faixas e cartazes.

Eles estavam sendo incitados por um caminhão com um som ensurdecedor de um homem gritando: “Cumpanheiros vamos lá! Vamos defender nosso presidente!".

Nós fomos para uma manifestação pequena, pacífica, como todas que fizemos até agora no Aeroporto Salgado Filho e em frente ao Palácio Piratini, mas estamos lidando com marginais pagos para nos agredir. Eles não respeitavam nem a brigada militar que estava com pouco efetivo, e nos aconselhou a ir embora, pois não podia nos proteger. Tivemos que ser escoltados pela brigada para sairmos do local.

Fomos agredidas moralmente, verbalmente com palavrões e xingamentos, com agressões físicas. Rapazes do PT vinham correndo e nos davam socos."


Eu sei que não é a primeira vez. Você sabe que não é a primeira vez e, pela quantidade de manifestantes (uns 20, pelo que soube), pode pensar que isto é um fato menor, uma rusga entre grupos rivais.

Acredito, porém que é muito mais grave justamente porque, se foi esta a reação dos vassalos lulo-petistas a esses pouquíssimos e imensos 20 cidadãos que acreditam ainda e ainda lutam, imagine como será à medida que estes grupos forem crescendo.

No país do desgoverno, a rua é do povo, mas só de um tipo de povo: aquele que incensa o líder, sustentado com o suor e o sangue de tantos iguais a estes 20 cidadãos que viram ser desrespeitado e abafado, pela violência dos "companheiros", seu direito à rua, à discordância, à voz .

11 comentários:

Ronald disse...

Eu que vivi na era da ditadura militar posso afirmar que, a repressão naquela época era menor que hoje, pelo menos a gente vivia. Sou contra a ditadura mas do jeito que a coisa anda, alguma coisa deve ser feita. Olha, não consigo mais olhar prá cara do cara...

Ursula disse...

O governo é um lixo. Por outro lado fico pensando: Cada povo tem o governo q merece, pois o brasileiro aceita sua condição sem reclamar. Manifestação aqui é de 6 dúzia q se bobear são criticados pelo restante.
Beijos

alexandre, the great disse...

O enfrentamento é inevitável. O que se poderia fazer para evitá-lo não foi feito em 2006. Já havia escrito algumas vezes que só um grave conflito transforma as sociedades, infelizmente. Mártires existirão, mas de que adianta viver num país sem liberdade?

Alexandre, The Great

Stella disse...

a rua só é do povo quando o povo tomá-la prá si
será que ele quer ou teme enfrentamento e entrega sem lutar?

Angelo da C.I.A. disse...

Eu fiquei chocado com os fatos narrados. E se não fosse o pessoal do Orkut, nem saberia do fato. Somenta a Rádio Gaúcha AM, o PolíbioBraga.com e a TV Record deram a notícia.
Agora, imagine se fosse o contrário, 20 MSTistas apanhando de 300 "direitistas raivosos".

cilene disse...

Bem tipico do PT...

CAntonio disse...

Saramar,

Sem uma reação de enfrentamento, não sairemos desse marasmo; infelizmente.


Bjusmil

João Bosco disse...

O que importa não é a quantidade, mas a qualidade do protesto.
Vai chegar a hora que teremos quantidade também.

Ricardo Rayol disse...

Isso que é democracia. Depois um dá um tiro e fica por isso mesmo.

shirlei horta disse...

Ditadura, pensamento único, privilégios para os apaniguados.... é o que temos.

Fábio Mayer disse...

Os companheiros sempre foram assim. Nunca houve nenhuma manifestação dessa gente que não tivesse descambado para violência.

São animais de mentes lavadas...