O RIO VERMELHO... DE VERGONHA

Luiz Inácio tingiu as águas do rio São Francisco de vermelho. Nada, porém, relacionado àquele partido, o PT. Coraram as águas do velho rio, de vergonha, logo o São Francisco que, velho, pensou já ter visto de tudo.

Vergonha diante do elegante (e caro) palanque eleitoral que, à revelia da legislação em vigor, foi montado pelo próprio presidente da república bem na cara da pobreza também antiga que por ali vive, lotado de “ministros, governadores, diretores do consórcio responsável pela obra e jornalistas”, conforme a Folha. Havia até banheiros de 3m2, provavelmente do tamanho de muitas moradias daquela região e camas king size, na exata medida de muitos quartos onde dormem os habitantes locais.

Tudo isto porque Luiz Inácio estava “vistoriando” as obras de transposição do rio. E ainda foi comparado ao Presidente Juscelino Kubitscheck, que tinha por hábito pernoitar nos canteiros de obras (só rindo mesmo, ou chorando, sei lá). Resta saber se Juscelino se servia de camarões e risotos, sem contar os uísques e a roda de viola, como aconteceu com o Luiz Inácio, a Roussef et caterva e mais 25 jornalistas, tanto brasileiros quanto correspondentes estrangeiros, televisões, sites de notícia e repórteres de revistas semanais como nesta “vistoria”. Diante disto, como poderia o velho Chico não se envergonhar?

Vermelho ficou o rio diante das declarações de Luiz Inácio, naquela linguagem característica: "Essa obra foi pensada em 1847. Quase 200 anos depois, não conseguiu andar, porque tivemos muitos governantes de duas caras, que prometiam fazer a obra em um estado e não faziam e prometia não fazer em outro estado". Será que ele estava diante de algum espelho? E, pensando bem, estaria o Luiz Inácio se comparando com D. Pedro? Levem o psiquiatra do planalto, com urgência, por favor, a algum lugar do planeta por onde anda o atual presidente.

Envergonha o São Francisco, ouvir as críticas de Luiz Inácio a outros governantes. Os habitantes daquelas margens e o resto do país sabem que as obras de transposição merecem deste governo (?) quase nada, além dos anúncios festeiros cometidos pelo presidente da república, montado em seus caros e ilegais palanques. A presença de mamãe-pac, ícone da incompetência gerencial e operacional do lulismo, demonstra que, apesar do foguetório eleitoreiro, pouco será concretizado. É a clássica figuração do nordeste brasileiro, como palco para falsos salvadores da pátria.

Na prática, a história é bem outra e só os tolos se enganam. Os dados do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi), sobre a execução orçamentária, não mentem, ao contrário de muitos enganadores. E eles indicam que apenas 3,68% da dotação total para esta obra foram utilizados.

É irônico, é cruelmente irônico que o tal nordestino-pobre-fugido-da-miséria-que-chegou-à-presidência, de forma escandalosa, use seus conterrâneos como curral eleitoral, mentindo e enganando. O velho Chico chora de vergonha.

5 comentários:

DO disse...

Enquanto ele se comparar com D. Pedro ta tudo bem,Saramar. O problema é qdo ele se comparar com Deus.
Beijos!

Fábio Mayer disse...

O presidente faz campanha eleitoral e critica quem não aceita a obra, inclusive alguns padres, todos ligados ao PT.

Nunca antes na história deste país a hipocrisia esteve tão em alta!

.:Tati Sabino:. disse...

É uma vergonha, mas como vivemos em um país de analfabetos, e de um povo sem um pingo de visão política, vamos continuar com este Brasil, o paraíso dos políticos mal intencionados!! E acredite, eu ouso direto pessoas enaltecendo o nosso querido presidente!!!

DO disse...

Vim te convidar pra comigo comemorar mais um aniversário do "Ramses".

Tem novidade por lá.

Beijos!

posturaativa disse...

Eles são os únicos a não se envergonhar com este circo armado, o povo – parte dele - é mero figurante que hipnotizado com o espetáculo votará cegamente na marionete de Lula.